Herbário Póetico

Espaço destinado a divulgaçao de: Receitas, Crenças. Misticismo Chás, Ervas&Aromas. Medicina Convencional Fitoterápico e Alternativo! Tudo que se relaciona com coisas naturais! Sem fins lucrativos. Nosso prazer e ver você informado. Agradecemos sua visita! Volte Sempre!

Inteligentes &Perpicazes

Total de visualizações de página

segunda-feira, agosto 30, 2010

Amor Verdadeiro


AMOR VERDADEIRO
É um UTAI FUMIRÊ amplificado.
Aumenta energia de sustentação do resgate planetário.
Forma pensamento que reluz como um ser vivo (elemental) em DOURADO e VIOLETA.
AMOR VERDADEIRO + SWEET + CORAÇÃO DA TERRA, + poder de transmutação do METÍSTICA = conexão com sonhos e vivências de cura humana, vegetal, planetária, música, aromaterapia, energia superluminal.

ZONAR


Trabalha níveis mentais do racional consciente. O hemisfério lógico-consciente dos 4 corpos sutis em sintonia com o corpo físico. Desbloqueio. Problemas neurológicos, memória, enxaqueca, fibromialgia, alzheimer, autismo. Regressões. Vidas paralelas. PONTO ZERO
Pode ser substituído pelo ZONAR-ZOTAN. Atua na energia crística.
ZONAR + OM SHO +UTAI FUMIRÊ = desperta o Amor, apazigua os ânimos de quem será tratado.
ZONAR + HALU + HARTH + METÍSTICA + antibióticos (KOORAX + MAXAM + STELIK) = limpeza e reconexão de todos os corpos sutis dos dois hemisférios cerebrais.
ZONAR + SEI HE KI + HOKOTA = amplifica processo de correções genéticas e vidas passadas.

HALU


Liga e equilibra os dois hemisférios cerebrais. Disfunções emocionais.
É um ZONAR amplificado.
Símbolo mental da Verdade, Harmonia e Equilíbrio. Restabelece registros do Corpo Causal.
Semelhante ao METÍSTICA.
HALU + METÍSTICA = ajuda a cura de nosso “lado sombra” (energia SAI BABA).
Trabalha o inconsciente junto a ZONAR ZOTAN e SEI HE KI.
Tratar Parkinson, Alzheimer, etc.

HARTH


Amor Incondicional.
Simboliza Amor, Beleza e Paz.
Trabalha cura pelo amor (relacionamentos, questões afetivas e cármicas familiares).
Equivale ao UTAI FUMIRÊ.
Arcanjo Sandalfon.
Aprisiona elementais acoplados nas pernas e nas pessoas.

RAMA


Ou MARA, (Karuna) ligado à alegria permanente.
Abre portais interdimensionais com a energia do próprio ser.
4º Raio = CRISTAL e BRANCO. Seraphis Bey. Arcanjo Gabriel.
Ajuda a concluir terapias pela energia telúrica (transmutação e restauração ligada ao fluxo do Kundalini).
Semelhante ao CHO KU REI, porém bem mais sutil.
Abre portais interdimensionais com a essência do ser.
Permite acessar o íntimo e os registros akásticos.

SKEE

MONE-Y KEE
OM KEE

Três símbolos que agem em conjunto ou em separado. Como um CHO KU REI mais “aterrado”. Amplifica Kundalini, plasma ou precipita necessidades materiais (Finanças, profissão). (Ir e voltar). Emocional (processos suicidas / autodestrutivos). É parte do OM KEE.
SKEE – adaptação genética às novas matrizes, formas de vida e realidade material da Terra (reestruturação financeira, amor próprio, amor à vida).
MONEY KEE – liga ponto Terra + ponto Solar. Energia RA + GAYA distribuídas pela coluna, órgãos e chacras. Fortalece a capacidade de captação de recursos financeiros e materiais de nossas necessidades prementes. Trabalha em harmonia com todos os chacras.
Cura insegurança, fragilidade de caráter, fortalece a fé, etc, diretamente ligado ao Mental Inferior.
OM KEE – mais elevado, proteção e consolidação da forma pensamento. Projeta-se pelo DNA e amplifica os outros 2. Respirar e meditar OM KEE para conectar nosso interior para Autoconhecimento.

OM NUT


Trabalha a cura através da Dança Sagrada.
Libera medos e problemas sexuais do corpo e da psique feminina.
Deusa Nut = arquétipo da deusa Hathor (Egito) = parte feminina do Pai Absoluto.
Impulso primevo de gerar e sustentar a vida.
Imprescindível aplicar antes OM SHO E UTAI FUMIRÊ.
Tratamento de câncer de mama e colo de útero.Miomas, distúrbios hormonais, menopausa, etc.
Medos, stress, conceitos equivocados de sexualidade de vidas passadas, frustrações conjugais.
Pode ser aplicado no feto, associado com OM SHO E UTAI FUMIRÊ para sustentar a alma da criança.
Ativar períneo (kundalini) para fluxo natural da energia telúrica.

PLEG


Equivale ao OM NUT feminino.
Harmoniza e restabelece funções urológicas masculinas.
Previne contaminação por doenças venéreas, trata câncer de próstata, impotência, ejaculação precoce, etc.
Ativa todos os meridianos de acupuntura, desbloqueando-os.
Regenera e auto-ativa sistema imunológico.
Atua diretamente nas glândulas sexuais, por estimulo celular (impotência).

PORTAL DE LIGAÇÃO INTERDIMENSIONAL

Projecções mentais. Cores vibrantes, como de ser vivo inteligente.
Merkabah inteligente, atua em dimensões superiores ao EU SOU.
Amplifica diversos vetores espaciais, suas linhas de energia e convergência com seres da Confederação.
Utilizado na Ascensão e aos Mestres Crísticos.
Estes 3 símbolos são usados em cirurgias espirituais, cicatrização rápida de ferimentos, fraturas expostas, limpeza do sistema linfático, etc.
A boa intenção do terapeuta é primordial.

OM ROM

Símbolo de contrato de poder pessoal em harmonia com todo o mundo.
Utilização do conhecimento da Cura Quântica.
Operação resgate da terra.
SÍMBOLO DE ELYON MICAH
Intercâmbio com Havona – usado por Maquibenta Melquisedeck.
Emblema pessoal espiritual para sustentação do plano Terra.
Trabalhos de cura planetária (raios dos Mestres no planeta).
Despoluir, curar, erradicar a miséria, doar luz e amor para o mundo astral e o planeta.
SHAM LOO

Símbolo da Justiça (= RAKU).
Situações cármicas (encarnações extraterrestres pendentes) de almas exiladas.
Conecta Polícia Estelar da Federação, Ordem dos Cavaleiros Azuis e Guarda dos Tigres Azuis de Sirius e Orion, enviados do Conselho Cármico Universal.
Desequilíbrios provocados pelos rebeldes estelares.
Para pedir ajuda em curas que envolvam carmas pesados do passado.
Conselho dos Anciãos. Arcanjos Miguel e Gabriel.

METANPOKA


Trabalha a cura, energização, purificação e harmonização com os elementais da natureza (5 elementos) e Gênios Elementais (gnomos, devas, duendes, silfos e elfos).
Hierarquia espiritual de base e Ponto Verde.
Compreensão da Cromoterapia mental e espiritual dos Mestres.
Geobiologia.
Chave para desprogramar efeitos cármicos da memória quântica pelo poder do AMOR e da Chama VIOLETA e DOURADA. Purifica e harmoniza.


IOA TO
Restaura o arquétipo celular e genético de cada glândula do corpo.
Acelera sua cura e a fortalece.
Menopausa, etc.
Exclusivamente para tratamento do DNA do sistema endócrino.
Amplifica o MELTRIX.
MAVERIK

Meditações e projecções para despertar da consciência do Amor Universal.
Sutilizações psíquicas. Desperta a conexão com o irreal.
Raio DOURADO – auto cura e auto ajuda.
Reverte melancolia.
Alinha Chacras frontal e coronário, acelera cardíaco.
Reconexão com o plano espiritual.
Rastreia e identifica bloqueios, pontos cármicos e mostra solução do problema.
Projetar no chakra frontal e cardíaco.
Sensibilização de pessoas cépticas.


MELINTAC

Reconexão com a alma, aumenta intuição, a capacidade de compreensão do mundo espiritual, processos cármicos e evolutivos.
Acoplado ao coronário, frontal e cardíaco.
Mestre Kutumi (Raio DOURADO).
Ajuda a despertar para o Raio VERDE.

MELTRIX

Energiza chacras dos seres vivos (plantas, animais, homem e cristais que têm geometria sagrada, vórtices e chacras também).
Ativa e acelera movimento dos chacras e os faz pulsar como o coração.
Unifica, alinha e abre todos os chakras (3 centos geradores ou 3 sóis - cabeça, tronco e abdômen).
Usar com o DAÍ KO MYO.
DRASTU

Selo protector empregado em qualquer tratamento espiritual, holístico ou convencional e pós-operatório, para ajudar cicatrização e cura.
NÃO TEM PODER DE CURA.
É um harmonizador.
Protege a intenção de cura e/ou tratamento, mentalizado ou empregado no processo.

TANATRON
Ajuda abertura de caminhos, da compreensão das leis universais e seus efeitos sobre a matéria, de nossa interação com o Universo e com o plano material.
Símbolo cabalístico, ajuda a resolver assuntos psíquicos, lembranças do passado e realidades paralelas.
Restaura a conexão de nossa consciência com os outros planos onde nossa alma atua.
Por isso, abre os caminhos.
RANYAM

Ajuda trabalhos de ativação e alinhamento da energia telúrica, kundalini e seu refluxo.
Yoga – limpeza e alinhamentos dos chacras, para ativar magneticamente as células.
Artes marciais e tantra – otimiza desempenho da energia sexual e poder curativo (une força telúrica com energia cósmica sutil).
Ajuda em técnicas de cura com Kundalini, quando energia vital está reduzida ou obstruída por deficiência cardiovascular, arterial, muscular ou espiritual.
Amplifica energização com reflexologia, acupuntura e do-in.
Desperta faculdades extra sensoriais, capacidades de manipular energias Yin/Yang.
Remove as larvas das pernas, virilha e joelhos.

DIX

Mentalizações com símbolos de cristalização (CHO KU REI e KEE). O pedido mentalizado gera imagens e formas pensamento consolidadas na 4ªD. Acelera processo de decretos e mentalizações.
O pedido deve estar em harmonia com nossa vida e com as leis universais. Energia do RAIO VERDE, AMARELO e AZUL. Efeito trino de poder (Chama Trina). Recomendado em meditações e despertar da consciência (apelos, pedidos), concretização de desejos (materialização de formas pensamento).

LEMUT

Regenerador. Reconstrói órgãos e tecidos, capilares, rupturas e feridas internas e internas (hemorragias). Restabelece integridade original conforme DNA de cada tecido.
Cicatrização, queda de cabelo = LEMUT + OM SHO e METÍSTICA.
Usar em todos os tratamentos de cura = LEMUT + OM SHO e UTAI FUMIRÊ (amplia poder).
Potente desinfetante etérico.
Indicações: contusões e dores em geral.

MENSHUI


Símbolo da Federação Intergaláctica.
Fecha os chakras (diminui seu diâmetro) de pessoas ainda inexperientes e/ou impossibilitadas. Ex. Clarividência que cria conflitos.
Reduz fluxo vibracional do chacra frontal e dos outros chacras.
Isso se reflete nas glândulas correlatas, interferindo em seu funcionamento.
Evita entrada de energias externas.
Efeito contrário do MELTRIX. Usar principalmente na nuca: ponto de incorporação.
MENSHUI + MELTRIX = bloqueia “efeito esponja” no ponto de incorporação (nuca).


MANTANTAR

Regeneração e revitalização de células (mitoses).
Rejuvenescimento celular material.
Controle do câncer, doenças degenerativas do processo de divisão celular.
Restauração celular e de órgãos nas cirurgias espirituais (LEMUT + MANTANTAR).
Rapidez na cicatrização e restauração de fraturas ósseas.
Processos de rejuvenescimento e cirurgia plástica.
Cremes e artefatos plasmados na egrégora de Rathor.

Visualizar ouro líquido (como água oxigenada – H2O2 - fervilhando) para queimar bactérias.
Lembrar sempre de iniciar o processo com OM SHO + UTAI FUMIRÊ.

MELENTIER


Para as pessoas que, no fundo, não querem se curar, que plasmam doenças e deficiências no sistema imunológico (auto flagelação).
Reverte gradualmente quadro psíquico auto-destrutivo do paciente, enquanto equipe espiritual trabalha seu corpo emocional.
Símbolo deve ser aplicado sobre chacras cardíaco, plexo solar e frontal.
Para a culpa, usar nos chacras básico e sexual.

TOO LA TEC


Usar em nossas meditações para acelerar o despertar da consciência da ascensão cósmica e nos libertar das ilusões do Universo.
Usá-lo como um projetor no cardíaco e frontal.
Mandala de projeção, por onde nossa mente flui e nos conecta ao Templo dos 22 raios na Amazônia, etc. Ativa a Chama Trina.

HAI

Usar nos trabalhos de meditação e expansão de consciência, potencializa a reconexão com as próprias falanges espirituais. Harmoniza e aumenta a intuição.
Experiências durante o sono, outras realidades.
Acoplar OM SHO HAN para alinhar personalidade e expansão de consciência.
Símbolo ligado aos Mestres Cósmicos como TOO LA TEC, MAVERIK, MELINTAC e OM SHO, para assistência e localização de almas perdidas.

LYAN TOO

Regenerador. Capta e amplifica a energia de cura e do sistema imunológico.
LYAN TOO + LEMUT + MANTANTAR + MELTRIX + IOA-TO + RANAYAN = cura em geral e cicatrização.
Não cristaliza desejos nem pedidos. Só cura. 5ºRaio. Mestre Hilarion.
Acelera cura emocional, mental e pós cirurgias (convalescença).
Reverte todos os processos infecciosos do corpo.
MELIT

Bloqueia holografias falsas dos que nos querem desviar do caminho. (Sinistro Governo Secreto).
Ajuda cardíaco identificar essa fonte falsa e nos guiar para a verdade.
Tela de proteção do chakra frontal.
Usar com o LAME TON = proteção contra agentes de forças involutivas que nos prendem a alma (ilusão= matrix) e impedem despertar da humanidade.
LAME TON

Tela de protecção do chakra frontal.
Usar com MELIT para bloqueio passivo dos MIBs.
Uso reservado aos mais experientes ao confrontar e aprisionar estes seres com SKALIBUR + YAVITH + MELVIC + LAME TON, etc.
Bloqueia perturbações energéticas nas projeções astrais ou mentais.
LAME TON + MELIT = trabalhos de meditação e cura e limpeza e confronto com forças trévicas.

TETA


Amplifica poder das armas de confronto e imobilização (SKALIBUR, YAVITH, MELVIC) na limpeza planetária e remoção de rebeldes.
Amplifica e potencializa nossa força mental e psíquica com esses símbolos (Comandantes Estelares) para conectar as hierarquias espaciais.
METPAK

Cores da bandeira brasileira.
Citrino regenerador.
Ametista no timo.
Transmuta o cardíaco.
Conexão com Templo dos 22 raios.
Ativa projeção mental nas realidades sutis.
Desenvolvida com exercícios e terapias de autoconhecimento de forma consciente.
Sintonizar os Mestres Gautama, Harmonia, Arcanjo Miguel e Maha Chohan Paulo, pedir para ir ao Templo, para estudos, treinamentos, etc.


MELVIC

Desobsessão brava (ETs).
Usar sempre MELVIC com o YAVITH + SKALIBUR + mantras sagrados.
Ajuda a enfrentar as lideranças dos seres obsessores (entrantes negativos, espíritos obsessores, elementais de magia negra).
Remove-os e os aprisiona dentro de um tubo de luz negra para entregá-los ao Conselho Cármico. (Mestras Kwanin e Rowena, para tratamento na luz, em clínicas de tratamento).
Chave de auxílio do Conselho Cármico para remoção e limpeza no túnel do tempo.
SEI HE KI (magia)+ HOKOTA + GATE = abre portal para remover obsessores no túnel do tempo.
2ª morte cósmica – a alma se desintegra e volta à mônada.
Sempre iniciar com OM SHO e UTAI FUMIRÊ (Lei Universal do Amor).
Saint Germain.

VAN TIL

Regenerador do DNA energético dos corpos sutis.
Atua no equilíbrio e acelera restabelecimento dos 4 corpos inferiores.
Curas e cirurgias espirituais (corpos sutis fragilizados).
Clonagem e materialização de novos órgãos danificados para corpo físico (regeneração sem rejeição). Ectoplasma.
Energia DOURADA (visualizar ouro líquido).
Mantras sagrados e imagem holográfica dos símbolos.
Arcanjo Metraton e seu filho Metatron.
Kuanin (deusa da Misericórdia) e Pórtia (Raio VIOLETA e complemento de Saint Germain).
Potencializa o LEMUT, o VAN TIL e o LYAN-TOO.

SALTOK


Símbolo de projecção holográfica de Portal Acturiano, ou Portal 11:11.
Acessa vidas paralelas, registros akásticos e permite fluxo Temporal e Espacial.
Acessa Calendário Maia (Plêiades, Sirius e Acturus).
Operação Terra e Operação Resgate. Há muitos Mestres e Avatares no planeta.
Olho de Rá (grande Olho cósmico = coração do ser humano).
Desvenda a origem da pessoa.
Ajuda regressão consciente dos enviados da Confederação, que vieram para ajudar a humanidade, que continuem sua missão na Terra.
Portal 12:12 será fechado de 2025 para 2026.
Usá-lo em pessoas com FALTA DE MEMÓRIA e que “viajam” em vidas paralelas.
Empregar em situações anormais, quando detectarmos Ets ou Entrantes.

SELT


Símbolo de Mestre Hilarion.
Protege, combate e ajuda redução dos efeitos de degeneração celular de radiações.
No câncer, ajuda a reduzir efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia.
Trata câncer secundário a excesso de exposição aos raios X, reatores nucleares, baterias de celular, etc.
Aplicar símbolo nos medicamentos, para amenizar os efeitos colaterais.
Harmoniza padrão de emissão de energia radioativa das células e restaura padrão do DNA original.
Pedir auxilio a Hilarion e sua equipe.
Visualizar a célula cancerígena dentro de uma cápsula negra, impedindo a troca de energia.
Tentar retirá-la ou eliminá-la
Energia VERDE, ajuda na concentração em projeções mentais, nos campos radioativos (Cinturão de Fótons).

YANKIN

Símbolo é holograma bidimensional de robô cibernético extraterrestre.
Analisa DNA de portador (AIDS) infectado, compara-o ao DNA dos corpos sutis até o mental superior e reativa (ou refaz) sistema imunológico. Assim, o próprio paciente reage e destrói o vírus HIV.
YANKIN NÃO DESTRÓI VIRUS. Direciona o padrão genético para restabelecer funções imunológicas.
Entra na freqüência celular quântica e atômica.
YANKIN + antibióticos (KOORAX + MAXAM + STELIK) = ataca AIDS com sucesso e protege membrana citoplasmática das células do sistema imunológico e linfático.

KROTHAF


Símbolo para tratamento específico de ossos, tendões e músculos ligados à estrutura do esqueleto.
Regenera cálcio (ossos e fibras musculares).
Acelera solda de fraturas, reumatismo, disfunções ósseas e musculares.
Associar OM LEMYT (restaura DNA) = acelera regeneração e cicatrização de ossos e músculos. Visualizar OURO LÍQUIDO.
KROTHAF + KEE + regeneradores + antibióticos = trata medula espinhal (sustenta e estabiliza problema).
KROTHAF + OM LEMYT = recupera cicatrização e fraturas de animais rapidamente.
KROTHAF + OM LEMYT + KEE = regenera tecidos e alivia dor.


Fonte do Texto e Imagem
http://astrologiaetarot.no.sapo.pt/

quinta-feira, agosto 26, 2010

Alguns Conceitos



A Umbanda tem na mediunidade de incorporação a sua maior fonte de adeptos,devido ao fato que a maioria das religiões condena o médium ou o julga uma pessoa desequilibrada ou possessa.

A Umbanda tem que preparar muito bem os seus sacerdotes para que eles acolham em seus templos todas as pessoas possuidoras de faculdades mediúnicas, auxiliando-as em seu desenvolvimento, preparando-as para serem futuros sacerdotes.


A Umbanda não alimenta em seu seio nenhum preconceito com as outras religiões, considerando que todas são legitimas representantes de Deus e as vê como ótimas vias evolutivas criadas por Ele.

A Umbanda não adota práticas agressivas de conversão religiosa, preferindo somente auxiliar quem adentrar em seus templos, o tempo e o auxílio desinteressado têm sido os maiores atrativos dos fiéis umbandistas.

A Umbanda não recorre aos sacrifícios de animais e não tem nesta prática legítima e tradicional do Candomblé, um de seus recursos ofertatórios às divindades, pois recorre às oferendas de flores, frutos, alimentos e velas quando as reverencia.

A Umbanda prega a existência de um Deus único e tem nessa sua crença o seu maior fundamento religioso, ao qual não dispensa em nenhum momento nos seus cultos religiosos e, mesmo que reverencie as divindades, os espíritos da natureza e os espíritos ascencionados (os guias-chefes), não os dissocia D"Ele, o nosso Pai Maior e nosso Divino Criador.

Texto extraído do livro " Doutrina e Teologia de Umbanda Sagrada "
de Rubens Saraceni


Fonte da Pesquisa
Imagem do google
http://espiritismoeumbanda.blogspot.com/

quarta-feira, agosto 25, 2010

I- CHING




As oito figuras que formam o I Ching estão na base da cultura que se desenvolveu na China durante milênios. Para os chineses a ordem do mundo depende de se dar o nome correto às coisas, portanto o significado de "I" sempre foi objeto de discussão.

Alguns vêem o ideograma I como semelhante ao desenho de um camaleão, representando o movimento (como o lagarto) e a mutação (como o mimetismo do camaleão). Outros afirmam que o ideograma é formado pelo do Sol em cima e o da Lua embaixo, a mutação sendo simbolizada pelo movimento incessante destes astros no céu.

Para o pensameno chinês, não há o que mude, há apenas o mudar. A mutação seria o caráter mesmo do mundo. Mas a mutação é, em si mesma, invariável, ela sempre existe. Portanto, "I" significa mutação e não-mutação. Subjaz, à complexidade do universo, uma 'simplicidade' que consiste nos princípios que estão por trás de todos os ciclos. Ao fluir com as circunstâncias se evita o atrito e portanto a resistência: esse é o caminho do homem sábio.

Tanto o taoísmo como o confucionismo, as duas linhas da filosofia chinesa, beberam da fonte do I.

Tudo que ocorre no céu e na terra tem sua imagem nos oito trigramas, que estão continuamente se transformando um no outro. Têm várias camadas de significados, e representam processos da natureza. São, portanto, o mundo arquetípico, ou o mundo das idéias de Platão. É usada para ilustrá-los a analogia com a família:

o pai é forte
a mãe é maleável
os três filhos são as três fases do movimento: início, perigo e repouso
as três filhas são as três etapas da devoção: suave penetração, clareza e tranqüilidade
Em Heráclito, e mais tarde na dialética européia, encontramos os ecos da fluidez que é a base do I Ching.

História
O I Ching surgiu antes da dinastia Chou (1150-249 a.C.) e era um conjunto de oito Kua, figuras formadas por três e seis linhas sobrepostas. James Legge, em sua tradução para o inglês (1882), chamou de trigrama o conjunto de três linhas e hexagrama o de seis, para distingui-los entre si.

A origem dos 64 hexagramas é atribuída a Fu Hsi, o criador mítico chinês, e até a dinastia Chou eles formavam o I. Os oito trigramas têm nomes não encontrados em chinês, sua origem é pré-literária.

O tempo obscureceu a compreensão das linhas, e no começo da dinastia Chou surgiram dois anexos: o Julgamento, atribuído pela tradição ao rei Wên, e as Linhas, atribuídas a seu filho, o duque de Chou, ambos fundadores desta dinastia.

Mais tarde, mesmo o significado destes textos começou a ficar obscuro, e no século VI a.C. foram acrescentadas as Dez Asas, que a tradição atribui a Confúcio, embora seja claro que a maioria delas não pode ser de sua autoria. O nome "I Ching" é dado ao conjunto dos Kua e todos os textos posteriores.

O I Ching escapou da grande queima de livros feita pelo tirano Ch'in Shih Huang Ti, no tempo em era considerado um livro de magia e adivinhação, o que levou a escola de magos das dinastias Ch'in e Han a interpretá-lo segundo outras visões A doutrina do yin-yang foi sobreposta ao texto. O sábio Wang Pi veio a resgatá-lo como livro de sabedoria.

Houve várias traduções do "I Ching" para línguas ocidentais, algumas claramente desrespeitosas, tratando a cultura chinesa como primitiva. A tradução de Legge fez parte da série Sacred books of the East (Livros sagrados do Oriente), e foi traduzida também para o português.

Richard Wilhelm traduziu o I Ching para o alemão ao longo dos anos em que viveu na China, inclusive durante a invasão japonesa, quando a cidade em que estava foi cercada. Teve o apoio de um velho e sábio mestre, Lao Nai Suan, que morreu ao ser concluída a tradução. A edição alemã é do ano de 1923. Wilhelm traduziu também outro clássico chinês, o Tao Te Ching.

O uso oracular do I Ching
A ênfase no aspecto oracular do "I" variou com o tempo. No século VI a.C. era visto mais como livro de filosofia, ao passo que na dinastia Han, quando a magia teve grande papel, era visto como oráculo.

Como todo oráculo, exige a aproximação correta: a meditação prévia, o ritual, e a formulação precisa da pergunta. O oráculo nunca falha, quem falha é o consulente: se a pergunta não foi clara e precisa, isto indica que a pessoa não tem clareza sobre o que deseja saber. O ritual tem a função psicológica de focar a atenção da pessoa na consulta.

A consulta oracular é feita com 50 varetas (originalmente de mil-folhas, uma planta sagrada), das quais uma é separada e as outras 49 manuseadas, seguindo seis vezes a mesma operação matemática, para a obtenção da resposta. Dessa manipulação resulta uma linha firme ou uma linha maleável, que podem ser móveis. As linhas firmes são resultado da obtenção dos números 7 ou 9, e as maleaveis vêm dos números 6 ou 8. Destes, 6 e 9 correspondem a linhas móveis que, por estarem prestes a mudar, têm importância na interpretação.

O I Ching, por ser um livro sagrado, e as varetas usadas na consulta, eram guardados em uma caixa de madeira virgem, embrulhados em seda também virgem.

No Japão, a consulta é feita com o uso de três moedas.



Fonte da Minha Pesquisa
http://astrologiaetarot.no.sapo.pt/

WIKIPEDIA

ABBRA.ENG.BR

sábado, agosto 21, 2010

Ervas chinesas


Ervas chinesas 'combatem endometriose', diz estudo - BBC

As ervas medicinais chinesas poderiam curar a endometriose, uma das principais causas de infertilidade feminina, segundo um estudo apresentado nesta semana na Reunião Anual da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva.

O estudo realizado pela professora Mache Seibel, da Universidade de Massachussets, nos Estados Unidos, mostra que uma combinação de nove ervas medicinais pode destruir as células que causam a endometriose.

A doença se manifesta através de fortes dores e sangramento excessivo durante o período menstrual.

O estudo mostrou que, se forem combinadas apropriadamente, as raízes de regaliz, peônia branca, incenso, mirra e sálvia combatem a doença.

Segundo a especialista em fitoterapia chinesa Nuria Lorite, esta composição de plantas é uma fórmula muito antiga usada em tratamentos ginecológicos.

"Esta combinação de nove ervas se usa com muita freqüência em problemas ginecológicos com excelentes resultados", disse a especialista à BBC.

Terapias alternativas

Nenhum dos tratamentos hormonais e cirúrgicos hoje disponíveis para a endometriose tem 100% de eficárica.

Por isso, com freqüência cada vez maior as mulheres ocidentais buscam terapias alternativas.

O problema, segundo Nuria Lorite, é que muitas vezes os tratamentos orientais são usados de forma incorreta pelos ocidentais, que usam as ervas separadamente em vez de usar a combinação correta para que as plantas sejam realmente eficazes.

"Para conseguir a composição efetiva, é preciso ter um profundo conhecimento das plantas chinesas", afirma Lorite.

A medicina chinesa requer, em primeiro lugar, um diagnóstico e tratamento individualizado, logo, as fórmulas têm que ser adaptadas para cada paciente.

Segundo a especialista, as fórmulas da medicina chinesa foram criadas para uma mulher oriental de milhares de anos atrás, que não tem qualquer semelhança com as mulheres ocidentais de hoje em dia.

Segundo a professora Mache Seibel, seu estudo pode levar ao desenvolvimento de novos remédios, com base nesta combinação de ervas medicinais.

Via web e imagem google

Fonte: BBC Brasil

TINTURAS DE ERVAS: DOSES DE ALÍVIO


Calendula



Desfrute do poder das plantas usando tinturas feitas em casa. Em banhos, compressas e escalda-pés, essas poções são fáceis de fazer e trazem bemestar.
FÁCEIS DE FAZER, AS TINTURAS DE ERVAS ALIVIAM CANSAÇO, TENSÃO E OUTROS MALES DO CORPO E DA ALMA. A simples mistura de ervas medicinais com álcool de cereais resulta em líquidos de vários tons de verde, que conservam as propriedades curativas das plantas e trazem alívio para males diversos. A terapeuta goiana Jorene Ferro tem longa experiência com o preparo e o uso de tinturas em seus pacientes: "Elas podem ser elaboradas com a erva seca ou fresca, colhida na lua cheia, quando suas propriedades estão mais fortes. Então, basta mergulhar os ramos em álcool de cereais e deixar curtindo um mês", explica ela, que faz parte da equipe do Hotel Ponto de Luz, em Joanópolis, interior
de São Paulo.

PARA DORES E EMOÇÕES

As tinturas podem ser feitas em casa ou compradas em farmácias de homeopatia. Observar a procedência e o prazo de validade são as garantias para aproveitar todos os seus benefícios. Elas podem ser friccionadas sobre a pele ou adicionadas à água de gargarejos, banhos, compressas e escalda-pés. Conforme a planta usada, a tintura atua para uma determinada função. Por exemplo, para quem vive
numa cidade grande, sujeito a poluição e tensões, Jorene recomenda a tintura de arruda. Aqueles que têm problemas digestivos podem se beneficiar com uma compressa de boldo sobre o estômago e o fígado (do lado direito, um pouco abaixo das costelas). Já a tintura de hortelã é ótima para o relaxamento muscular, e as de alecrim ou manjericão ajudam a combater o desânimo e a depressão, em doses moderadas.
Quanto ao cuidado com as plantas, o biólogo Glauco Machado Bueno, também de Joanópolis, explica que as ervas medicinais, em geral, só exigem bastante sol e não requerem cuidados especiais. Até porque, segundo ele, quanto mais inóspitas são as condições em que a planta vive, mais forte é o poder curativo: "Ela se fortalece quando tem de disputar espaço para sobreviver, quando precisa se
defender do meio que a circunda", explica ele. Veja abaixo o preparo da tintura, passo a passo.
As ervas colhidas no período da lua cheia têm suas propriedades curativas intensificadas. Em geral, as plantas medicinais só precisam de muito sol para se desenvolver e não requerem cuidados especiais de cultivo.
Você precisa de uma garrafa de vidro escuro (300 ml), limpa, álcool de cereais, etiqueta, caneca e a planta.
Desfolhe uma quantidade de erva fresca equivalente a um copo e coloque na garrafa sem acrescentar água. Se for erva seca, basta meio copo de folhas maceradas e umedecidas com meio copo de água. Adicione o álcool, mas sem encher até a borda da garrafa, deixando um espaço livre.
Coloque etiquetas nos frascos e escreva nelas o nome da planta e a data. O prazo de validade é um ano. Deixe descansar durante um mês em local escuro e não muito quente. Depois, filtre o líquido, transferindo-o para outro frasco, igualmente de vidro escuro. Escolha a tintura certa
Abaixo você descobre que tintura é mais adequada para algumas dores ou estados emocionais, segundo o biólogo Glauco Machado Bueno.
Elas podem ser adicionadas à água do banho de imersão na proporção de 1 colher de sopa de tintura para 1 litro de água pura ou jogadas no corpo depois do banho normal, na mesma proporção. Para compressas frias, derrame um pouco sobre uma toalha e aplique na região que deseja aliviar.
Para compressas quentes, dissolva 1 colher de sopa de tintura para cada litro de água aquecida.
Em gargarejos,! use 5 gotas de tintura para meio copo de água.
Para escalda-pés, a proporção ideal é 5 litros de água quente (até a altura da canela) para 5 colheres de sopa de tintura. Deixe os pés mergulhados por quinze minutos.


Tintura de alecrim (Rosmarinus officinalis):
Tem ação estimulante. No banho de imersão, após o banho de chuveiro ou em massagens nos braços e nas pernas, ajuda a ativar a circulação. Cuidado: pessoas hipertensas devem usá-la com moderação.

Tintura de manjericão
(Ocimum officinalis): Em massagens, alivia cansaço nas pernas e, em compressas ou banhos, é estimulante.

Tintura de alfazema (Lavandula officinalis): Tem ação calmante. Para dores abdominais, recomendam-se compressas quentes. Para dores de cabeça, use compressas frias na testa. Adicionada ao banho de assento, alivia cólicas menstruais.

Tintura de arruda (Ruta graveolens): Ótima para banhos de limpeza energética. També! m é eficiente contra piolhos e pulgas na escovação de cães e gatos. Cuidado: nunca tome sol depois da aplicação da tintura de arruda, pois pode manchar a pele.

Tintura de calêndula
(Calendula officinalis), de camomila (Matricaria chamomilla) e de erva-doce (Pimpinella anisum): São antiinflamatórias
e suavizam a pele. A erva-doce é indicada para acne juvenil.

Tintura de chapéu-de-couro
(Echinodorus macrophyllus) e de sálvia (Salvia officinalis): De efeito poderoso, são usadas para a limpeza
energética. A de sálvia serve ainda para gargarejos, curando feridinhas na boca e dor de garganta.

Tintura de guaco
(Mikania glomerata): tem efeito expectorante.

Tintura de erva-cidreira
(Melissa officinalis): Boa contra nervosismo e ansiedade. Não confundir com capim-cidreira.

Tintura de malva-cheirosa
(Pelargonium graveolens): Em forma de banhos quentes, restaura o equilíbrio. Serve tanto para e! stados de
excitação quanto de depressão. Também é eficiente em gargarejos para dores de garganta ou feridas na boca. Não confundir com malva-silvestre.

Tintura de hortelã: (Menta piperita): Usada em banhos frios, alivia coceiras. Em compressas quentes e inalações, é útil para gripes e
resfriados. Proporciona ainda clareza mental e ajuda a digestão.

Tintura de mil-em-ramas
(Achillea millefolium): É analgésica e antitérmica. Em compressas quentes, é boa para dores articulares e
musculares. Em compressa fria, na testa, é antídoto para o cansaço mental.
Tintura de pétalas de rosas: Torna a pessoa mais sensível e receptiva. Age contra inflamações e regenera a pele. Cuidado: não use rosas
de floricultura, pois têm agrotóxicos.

Fonte do texto e Imagem google
http://astrologiaetarot.no.sapo.pt/tinturdeervas.htm

quinta-feira, agosto 19, 2010

PODER


O que seria o poder? Porque os espíritos encarnados estão sempre a sua procura.

Mesmo aqueles que nada fazem para possuí-lo sentem-se tentado por ele, quando aparece uma tênue possibilidade de tê-lo.

Isto acontece em todos os setores da vida, em todas as classes, não existe exceção.

Agora muito nos entristece quando vemos espíritas e espiritualistas que se sentem poderosos simplesmente pelo fato de terem qualquer tipo de mediunidade, ou então por aprenderem a manusear esta ou aquela força ou mistério.

Que tristeza, tem tudo na mão para evoluírem através da caridade, da boa palavra, com acesso fácil a muitos ensinamentos que poderiam absorver e passar para outros irmãos, mas não preferem usar em proveito próprio.

Ah! Se esquecem rapidamente da máxima de Cristo “ A quem muito se deu, muito será pedido” além de burlarem todo um programa de ajuda ao próximo com o qual estavam compromissados, criam dívidas imensas com seus irmãos encarnados e desencarnados.

O poder, que poder acham que tem? Pois é sabido que todos os irmãos encarnados têm faculdades psíquicas, que a mediunidade todos a possuem, em graus maiores ou menores dependendo da missão a ser cumprida nesta Terra, e no momento que acumularem dívidas para com seus irmãos e usarem o que tem em favor próprio o Pai em qualquer momento pode retirar o que lhe foi concedido, ou pior pode passar a não mais ter a companhia de irmãos evoluídos, mas sim daqueles que vêm das trevas para iludi-lo e mais rapidamente sobrecarregá-lo de dívidas para com ela.

Vou dizer-lhe meus irmãos não existe nenhum poder em uma missão mediúnica, muito menos em quem sabe trabalhar com o psíquico ou mental de seu próximo, pois o mais simples dos mortais pode perfeitamente se defender daqueles que usam de tais armar para causar o mal ao seu próximo. Defendem-se de uma forma bem simples, a FÈ e o VERDADEIRO AMOR FRATERNAL, se forem munidos de tais armas, nenhum mal os atingirá.

Muito simples, muito fácil para os verdadeiros Homens de bem, não importa o credo que professem, importa sim os seus atos que comprovarão a sua verdadeira pureza de espírito. Ora se quem faz o mal sofre a lei da ação e reação, quem pratica o bem também, então não se iludam vocês que se julgam muito poderosos, os poderes que julgam ter podem se virar contra vocês mesmo.

E vocês que tentam trilhar o caminho da luz, não se atemorizem com aqueles que têm fama de poderosos, não dêem ouvidos quando eles tentam colocar mel em seus ouvidos

dizendo que vocês são poderosos, que eles vêm isso ou aquilo em vocês, eles querem envolvê-los através da vaidade elevando o ego de cada um, para depois golpeá-los com seus desejos mórbidos, seja ganância, seja pura necessidade de terem adeptos aos seus pés.

Eles estão infiltrados em todas as religiões, mas têm maior ação nas religiões espíritas, espiritualistas, e também no que não é uma religião como o esoterismo.

Quero deixar claro que não estou atacando nenhuma religião ou filosofia, muito menos o esoterismo que citei, pois dentro de todas elas temos encontrado guerreiros do bem, da luz, mas infelizmente por levarem a evolução temos encontrado as trevas em plena ação, tentando dar suas investidas sobre os mais desavisados, que nem se apercebem que estão sendo suas armas e vítimas ao mesmo tempo.

O poder espiritual não existe, existe sim evolução, o poder psíquico todos tem, basta desenvolvê-lo, e se assim o fizer deve sempre usá-lo para o bem sem interferir no livre arbítrio de cada um.

Passo esta mensagem com o único intuito de alertá-los, reconhecer os impostores do bem é fácil, eles sempre derrapam e acabam indo contra as Leis do Pai, claro que dão uma boa desculpa para isso, mas as Leis do Pai são imutáveis e não existe desculpas para não ser cumpridas.

Que Deus os abençoe e lembrem-se a FÉ E O AMOR FRATENAL são as únicas armas poderosas que existem, promovem a nossa reforma interior e nos leva rumo a evolução.

Ditado por

João de Albuquerque

psicografado por Luconi
em 28-01-10

Fonte do Texto e Imagem


http://espiritismoeumbanda.blogspot.com/



Agradeço a Poetisa Luconi a disposição de seu blog para servi-me de indicador de suas postagens.
Paz e bem a ti e familia
Abraços

Deuses Gregos



Na concepção greco-romana, os imortais classificavam-se em: Divindades primordiais, superiores, siderais, dos ventos, das águas e alegóricas. Abaixo listarei os deuses utilizando a mesma concepção.

Divindades Primordiais:

Geia - Mãe de todos os seres, personificação da terra. Surgiu do Caos e gerou Urano, os Montes, o Mar, os Titãs, os Centímanos (Hecatonquiros), os Gigantes, as Erínies, etc. O mito de Géia provávelmente começou como uma veneração neolítica da terra-mãe antes da invasão Indo-Européia que posteriormente se tornou a civilização Helenística.

Urano - O primeiro rei do Universo, segundo Hesíodo (céu estrelado). Casou-se com Géia, da qual teve os Titãs, as Titânidas, os Ciclopes e os Hecatonquiros. Urano, por ódio, lançou no Tártaro os Ciclopes e os Hecatonquiros, Géia porém deu uma foice aos Titãs para que se vingassem. Cronos, o mais audacioso deles, castrou Urano e tornou-se o senhor do universo!

Cronos - Filho de Urano e Géia. O mais jovem dos Titãs. Se tornou senhor do céu castrando o pai. Casou com Réia, e teve Héstia, Deméter, Hera, Ades e Poseidon. Como tinha medo de ser destronado, Cronos engolia os filhos ao nascerem. Comeu todos exceto Zeus, que Réia conseguiu salvar enganando Cronos enrolando uma pedra em um pano, a qual ele engoliu sem perceber a troca. Mais tarde Zeus voltou, deu ao pai um remédio que o fez vomitar os filhos, e logo depois o destronou e baniu-o no tártaro. Cronos escapou e fugiu para a Itália onde reinou sobre o nome de Saturno. Este período no qual reinou foi chamado de “A era de ouro terrestre”.

Ciclopes - Arges, Brontes e Estéropes. Pertenciam a raça dos gigantes. Forjavam os raios e os trovões para Zeus. Teriam sido mortos por Apolo para vingar a morte de Asclépio. Segundo Homero, porém, teria sido um povo de gigantes rudes, fortes, indiferentes às divindades, dedicados ao pastoreio.

Hecantoquiros (ou Centimanos) - Briareu, Coto e Giges. Gigantes de cem braços e cinqüenta cabeças. Tendo hostilizado o pai, este os mandou pra horríveis cavernas nas vísceras da terra. Participaram da rebellião contra Urano. Quando Cronos tomou o poder, os aprisionou no tártaro. Libertados por Zeus, lutaram contra as titãs. Com a habilidade de arremeçar cem pedras de uma vez venceram os titãs. Briareus era guarda-costas de Zeus.

Titãs - Oceano, Hipérion, Japeto, Céos, Créos e Cronos.

Titanidas - Téia, Réia, Têmis, Mnemôsine, Febe e Téis.

Zeus - O deus supremo do mundo, o deus por excelência. Presidia aos fenômenos atmosféricos, recolhia e dispersava as nuvens, comandava as tempestades, criava os relâmpagos e o trovão e lançava a chuva com sua poderosa mão direita, à sua vontade, o raio destruidor; por outro lado mandava chuva benéfica para fecundar a terra e amadurecer os frutos. Chamado de o pai dos deuses, por que, apesar de ser o caçula de sua divina família, tinha autoridade sobre todos os deuses, dos quais era o chefe reconhecido por todos. Tinha o supremo governo do mundo e zelava pela ordem e da harmonia que reinava nas coisas. Depois de ter destronado o sei pai, dividiu com seus irmãos o domínio do mundo. Morava no Olimpo, quando sacudia a égide, o escudo formidável que lançava relâmpagos explodia a procela. Casou-se com Hera, porém teve muitos amores.

Hera - Irmã e esposa de Zeus, a mais excelsa das deusas. A Ilíada a representa como orgulhosa, obstinada, ciumenta e rixosa. Odiava sobretudo Héracles, que procurou diversas vezes matar. Na guerra de Tróia por ódio dos troianos, devido ao julgamento de Páris, ajudou os gregos.

Hestia - Deusa do fogo e da lareira.

Demeter - É a maior das divindades gregas ligadas à terra produtora; seu nome significa Terra-mãe. De Zeus teve Perséfone, que foi raptada por Hades. Enraivecida, fez com que a terra se tornasse árida. Zeus, para aplacá-la, obteve de Hades que Perséfone permanecesse quatro meses nos Infernos, junto com o marido, e oito meses ao lado de sua mãe. O seu mito em relação a Perséfone teve lugar nos mistérios eleusinos.



Apolo - Filho de Zeus e de Leto, também chamado Febo, irmão gêmeo de Ártemis, nasceu às fraldas do monte Cinto, na ilha de Delos. É o deus radiante, o deus da luz benéfica. A lenda mostra-nos Apolo, ainda garoto, combatendo contra o gigante Títio e matando-o, e contra a serpente Píton, monstro saído da terra, que assolava os campos, matando-a também. Apolo é porém, também concebido como divindade maléfica, executora de vinganças. Em contraposição, como dá a morte, dá também a vida: é médico, deus da saúde, amigo da juventude bela e forte. É o inventor da adivinhação, da música e da poesia, condutor das Musas, afasta as desventuras e protege os rebanhos.

Artemis - Deusas da caça, filha de Zeus e Leto, irmã gêmea de Apolo. Representava a mais luminosa encarnação da pureza feminina. Eram-lhe oferecidos sacrifícios humanos em tempos antiquíssimos. Deusa da Lua, declinava-se, circundada por suas ninfas, vagar de dia pelos bosques à caça de feras, à noite, porém, com o seu pálido raio, mostrava o caminho aos viajores. Quando a Lua, escondida pelas nuvens, tornava-se ameaçadora e incutia medo nos homens, tomava o nome de Hécate.

Atena - Surgiu toda armada do cérebro de Zeus, depois de ter ele engolido seu primeira esposa Métis. Era o símbolo da inteligência, da guerra justa, da casta mocidade e das artes domésticas e uma das divindades mais veneradas. Um esplêndido templo, o Partenon, surgia em sua honra na Acrópole de Atenas, a cidade que lhe era particularmente consagrada. Obra maravilhosa de Ictino e de Calícrates, o Partenon continha uma colossal estátua de ouro dessa deusa, de autoria do famoso escultor Fídias.

Hermes - Filho de Zeus e de Maia, o arauto dos deuses e fiel mensageiro de seu pai, nasceu numa gruta do monte Ciline, na Arcádia. Lodo que nasceu, fugiu do berço e roubou cinqüenta novilhas do rebanho de Apolo, em seguida, com a casca de uma tartaruga, construiu a primeira lira e com o som deste instrumento aplacou Apolo, enfurecido pelo furto; esse deus acabou por deixar-lhe as novilhas e deu-lhe o caduceu, a vara de ouro, símbolo da paz, n troca da lira. Zeus deu-lhe o encargo de levar os mortos a Hades, daí o epíteto de Psicompompo. Inventou, além da lira, as letras e os algarismos, fundou os ritos religiosos e introduziu a cultura da oliveira. Deus dos Sonhos, eram lhe oferecidos sacrifícios de porcos, cordeiros, cabritos… Seus atributos eram a prudência e a esperteza. Livrou Ares das correntes dos Aloídas, levou Príamo à tenda de Aquiles e matou Argos, guarda de Io. Era representado com um jovem ágil e vigoroso, com duas pequenas asas nos pés, um chapéu de abas largas na cabeça e o caduceu nas mãos.

Afrodite - A deusa mais popular do Olimpo grego, símbolo do amor e da beleza. Filha de Zeus e de Díone ou, segundo outra versão, nascida da espuma do mar na ilha de Chipre. Acompanhavam-na as Horas, as Graças e as outras divindades personificadoras do amor. Era esposa de Hefesto, porém amou Ares, Hermes, Dioniso, Poseidon e Anquises. Por seus amores com Ares, foi considerada também como divindade guerreira. A sede mais antiga de seu culto era a ilha de Chipre.

Hefesto - Deus do fogo, filho de Zeus e Hera. Trabalhava admiravelmente os metais e construiu inúmeros palácios de bronze, além da esplêndida armadura de Aquiles e o cetro e a égide de Zeus. Segundo uma tradição, nasceu coxo, pelo que sua mãe lançou-o do alto do monte Olimpo, foi recolhido por Tétis e Eurínome, com as quais permaneceu durante nove anos. Voltando ao Olimpo, ao defender Hera contra Zeus, este atirou-o do céu e, precipitando durante um dia inteiro, caiu na ilha de Lemos. Suas forjas, com vinte foles, foram depois do Olimpo colocadas no Etna, onde tinha os Ciclopes como companheiros de trabalho.



Hades - Senhor do reino subterrâneo. Acreditava-se que, com seu carro, viesse ao mundo para buscar as almas dos mortos. Possuía um capacete que o tornava invisível. Somente Hades tinha o poder de restituir a vida de um homem, porém, utilizou-se desse poder pouquíssimas vezes e, assim mesmo, a pedido da esposa. Era o deus das riquezas porque dominava nas profundezas da terra, de onde mandava prosperidade e fertilidade; era considerado um deus benéfico.

Poseidon - Depois que os Titãs foram derrotados por Zeus, na divisão do mundo coube-lhe a senhoria do mar e de todas as divindades marinhas. Tinha um palácio nas profundezas do mar, onde morava com sua esposa Anfiritre e seu filho Tritão. Sua arma era o tridente, com o qual levantava as ondas fragorosas, que engoliam as naus, e fazia estremecer o solo ou desperdiçar os recifes. Odiava Ulisses, por ele ter cegado o Ciclope Polifemo, seu filho. Foi inimigo de Tróia, depois que seu rei Laomendonte lhe negou a compensação pela construção das muralhas da cidade, ocasião em que mandou um monstro marinho para devorar Hesíon, filha do rei, que Héracles matou. Teve com Zeus, numerosos amores, todavia enquanto os filhos de Zeus eram heróis benfeitores, os de Poseidon eram geralmente gigantes malfazejos e violentos.

Ares - Deus da guerra, filho de Zeus e de Hera. Deleitava-se com a guerra pelo sei lado mais brutal, qual seja a carnificina e o derramamento de sangue. Inimigo da serena luz solar e da calmaria atmosférica, ávido de desordem e de luta. Ares era detestado pelos outros deuses, o próprio Zeus o odiava. Tinha como companheiros nas lutas Éris, a discórdia; Deimos e Fobos, o espanto e o terror, e Ênio, a deusa da carnificina na guerra. Amou Afrodite, da qual teve Harmonia, Eros, Anteros, Deimos e Fobos.

Dioniso - Filho de Zeus e de Sêmele, deus do vinho e do delírio místico. Em sentido mais geral, representava aquela energia da natureza que, por efeito do calor e da umidade, amadurece os frutos; era, pois, uma divindade benéfica. De todas as divindades, era a que mais aproximava dos homens. Teve um nascimento milagroso, com efeito, morrendo-lhe a mãe antes que tivesse o necessário desenvolvimento, foi recolhido pelo pai que o costurou numa de suas coxas e aí o conservou até que o garoto pudesse enfrentar a vida. Dioniso demonstrou muito cedo sua origem, divina: crescia livre, amante da caça e possuía o estranho poder de amansar as feras mais ferozes. Um dia, criou a videira e quis dar o vinho a todos os homens; para esse fim, empreendeu numa longa viagem, através de todas as terras, seguido por um cortejo de ninfas, sátiros, bacantes e silenos. Por onde passavam, os homens tornavam-se felizes. Na Frígia, concedeu ao rei Midas a faculdade de poder transformar em ouro tudo que tocasse. Na Trácia, o rei Licurgo tentou dispersas a comitiva: Dioniso indignado, cegou-o. Em Delos, concedeu às filhas do rei Ânio o poder de mudar a água em vinho. Casou-se com Ariadne, depois que esta foi abandonada por Teseu; as núpcias foram celebradas com suntuosidade e o casal subiu ao Olimpo sobre um carro puxado por panteras.



Divindades Siderais:

Helios - Filho de Hipérion e de Téia, titã por excelência, irmão de Selene e de Éos, personificação do Sol. Surgia todas as manhãs do Oceano para conduzir o carro do Sol, puxado por cavalos que expeliam fogo pelas narinas. Penetrava com seus raios em todos os juramentos. Mais tarde foi confundido com Apolo. O Colosso de Rodes foi uma estátua lhe consagrada.

Selene - Deusa da Lua, irmã de Helios e Éos, da família dos Titãs. Era uma linda deusa, de braços brancos, com longas asas, que percorria o céu sobre um carro para levar aos homens a sua plácida luz. Amou Endimião e foi, posteriormente, identificada com Ártemis.

Eos - Deusa que anunciava o dia. Era representada sobre o carro da luz, guiando os cavalos, com uma tocha na mão. Divindades dos Ventos:

Boreas - Filho de Astreu e de Éos, deus dos ventos do norte, morava na Trácia. Pertencia à raça dos Titãs e era irmão de Zéfiro, Euro e Noto. Raptou Orítia, com a qual casou e que lhe deu os filhos Cálais e Zetes.

Zefiro - Vento que sopra do Poente, anunciador da primavera e venerado como deus benéfico.

Euro - Vento que sopra do Oriente, dependente de Éolo.

Noto - O vento do Sul.

Eolo - Rei dos ventos, às vezes identificado com o filho de Poseidon e Arne. Morador das ilhas Eólias, acolheu amigavelmente Ulisses e seus companheiros e deu-lhes um odre em que estavam encerrados todos os ventos contrários à navegação Ítaca. Os companheiros de Ulisses, por curiosidade, abriram-no e os ventos desencadearam uma terrível tempestade que causou o naufrágio de quase toda a frota. Divindades das Aguas



Oceano - O mais velho dos Titãs, marido de Tétis, pai de todos os rios e das Oceânides. Era a personificação da água que envolve o mundo.

Nereu - Velho deus marinho, filho do Ponto e de Géia. tinha o dom da profecia e a faculdade de tomar várias formas. Era representado com os cabelos, sobrancelhas, queixo e peito cobertos por juncos marinhos e por folhas de plantas similares.

Proteu - Pastor das focas de Poseidon. Morava numa ilha próxima ao Egito e tinha o poder de metamorfosear-se em todas as formas que desejasse, não só de animais, mas também de plantas e de elementos, com a água e o fogo. Segundo Eurípedes, Proteu foi rei da ilha de Faros e, casando-se com Psâmate, teve os filhos Idoteu e Teoclímenes.

Ninfas - Filhas de Zeus, representavam as forças elementares da natureza. Moravam nos montes, nos bosques, nas fontes, nos rios, nas grutas, das quais eram potências benéficas. Viviam livres e independentes, plantavam árvores e eram de grande utilidade aos homems. Dividiam-se em Oceânides, Nereidas, Náiades, Oréades, Napéias, Alseidas, Dríades e Hamadríades.

Texto do Blog
http://entaolengalenga.blogspot.com/deuses-gregos.html

quarta-feira, agosto 18, 2010

Deuses Primordiais Genealogia


Os deuses primordiais — ou da 1ª geração — eram entidades que haviam gerado o mundo. Representavam as mais primitivas e poderosas forças da natureza, como por exemplo o relâmpago, e também todos os impulsos básicos da vida, como a morte e o inflexível estino.

Os titãs, representantes típicos da 2ª geração, que descendendia da primeira, transmitia ainda uma visão agitada e indomada da natureza. Havia já deuses de aparência semelhante à humana, mas predominavam divindades poderosas, monstruosas e aparentemente incontroláveis.

Mais tarde, com o desaparecimento da potência criadora e selvagem das duas primeiras gerações, as antigas divindades e as novas acomodaram-se, cada uma em seu domínio. Na época da 3ª geração, a dos "deuses olímpicos", os deuses adquiriram forma totalmente humana e o mundo assumiu, finalmente, o aspecto atual.

Segundo as tradições gregas, porém, pouco tempo antes do mundo atual, os deuses interagiam constantemente com os mortais, e a terra ainda estava cheia assustadores. Os filhos dos deuses olímpicos constituem, de certa forma, a quarta e última geração divina.

Fonte do Texto e Imagem
http://portalveritas.blogspot.com/2009/07/genealogia-dos-deuses.html

Deuses Primordiais

<

As divindades estão presentes nas duas obras de Homero. É interessante conhecer os hábitos, características e costumes divinos.

Homero nos transporta ao Olimpo (morada divina), e nos faz viver o cotidiano dos Imortais com tal riqueza de detalhes, que o leitor chega a se perguntar: "Será que estes deuses existem mesmo?".

Segundo Homero, são algumas características dos deuses:

antropomórficos

alguns são forças da natureza

nascem, porém não morrem nem envelhecem

podem assumir a forma de um humano para de disfarçar

têm os defeitos humanos

se machucam e sentem dor

ditam o destino do mundo mortal

Há uma relação muito grande entre homens e deuses. Eles podem ter filhos em comum (semideuses), conversam constantemente e suas preocupações podem tornar-se comuns.

O interesse de um deus (ou deuses) por algum mortal é sinal de superioridade deste. Este interesse, às vezes, faz com que o deus protetor entre em atrito com outros deuses, ou até mesmo com o pai Zeus.

Quanto à diferente atuação dos deuses nas obras, pode-se dizer:

na Ilíada: os deuses estão constantemente presentes, têm bastante contato com os homens (conversas, personificações, avisos etc.) e para alcançar seus objetivos os deuses, por vezes, enganam os homens.

na Odisséia: os deuses estão mais distanciados dos homens, tentam impor aos mortais regras de moral e não os enganam para conseguir seus objetivos.


Deuses Primordiais.


Os gregos não acreditavam que o universo tivesse sido criado pelos deuses, e sim exatamente o contrário. Antes de existirem os deuses, o Céu e a Terra haviam sido formados e foram eles os primeiros pais dos deuses. Nasceram, então, os Titãs e depois vieram os deuses, os netos.

Os deuses gregos são divididos em vários grupos. O mais antigo é o dos Titãs, liderado por Crono. Entretanto, o grupo mais conhecido é o dos deuses do Olimpo.

Titãs.....

Chamados de deuses antigos, foram os seres supremos do universo durante um tempo incalculável. Eram enormes e tinham força inacreditável. Havia muitos deles, mas só alguns apareceram nas histórias da mitologia.

O Titã mais importante foi Crono. Dominou os outros titãs até que Zeus, seu filho, destronou-o e tomou o poder.

Outros titãs de destaque foram:

Atlas - que trazia nos ombros a abóbada celeste

Oceano - o rio, que conforme se imaginava, envolvia a Terra

Prometeu - que foi o salvador da humanidade

Tétis - esposa de Oceano

Os Olímpicos......

Os grandes olímpicos eram supremos entre os deuses que sucederam os Titãs. Mesmo entre os deuses do Olimpo existe a hierarquia de poder. Essas divindades subdividem-se em várias classes.

A classe superior é formada por:

Afrodite - deusa do amor

Apolo - deus da música, da poesia e da beleza

Ares - deus da guerra

Artêmis - deusa da caça

Atena - deusa da justiça

Deméter - deusa da agricultura

Hebe - deusa da juventude

Hefesto - ferreiro dos deuses

Hera - irmã e mulher de Zeus

Hermes - mensageiro dos deuses

Héstia - deusa do fogo

Posseidon - irmão de Zeus e deus dos terremotos e dos oceanos

Zeus - governante de todos os deuses

Numa classe inferior estão: Dionísio - deus do vinho

Hades - irmão de Zeus e deus dos infernos

Musas - representantes das artes e das ciências

Ninfas - guardadoras da natureza

Pã - deus das florestas

Fonte do Texto e Imagem
http://www.chakalat.net/2010/06/deuses-gregos.html

terça-feira, agosto 17, 2010

Medicina fitoterápica




Não se pode esquecer de que várias drogas anticâncer comprovadamente eficazes utilizadas na medicina convencional são originárias de plantas. Medicamentos fitoterápicos têm apelo considerável para algumas, especialmente por serem considerados naturais. Fora da oncologia ortodoxa, tem se afirmado que várias preparações fitoterápicas beneficiam particularmente os pacientes com câncer. Um exemplo é o iscador, um extrato fermentado de erva-de-passarinho dado em injeção. Afirma-se que exerce seus efeitos benéficos tanto por matar as células cancerosas como por alterar beneficamente o sistema imunológico do organismo.

Embora haja reivindicação da eficácia, não há evidência de testes clínicos conduzidos apropriadamente que as apóie. Outro exemplo é o letrile. O principal ingrediente dessa substância é a amigdalina, encontrado no caroço do damasco e amêndoas. Tem-se sugerido que o letrile leva o hidróxido de cianeto tóxico a ser seletivamente liberado dentro de células cancerosas. Não há justificativa científica para essa hipótese e infelizmente, estudo clínico cuidadoso não produziu evidência de eficácia.


Fonte do texto web
Imagem do google

segunda-feira, agosto 16, 2010

Banhos e orações à São Roque



Os tradicionais banhos de folha e de pipoca são realizados pelos babalorixás e ialorixás, que fazem seus trabalhos no adro da igreja. No candomblé, São Lázaro e São Roque são identificados com Obaluaê e Omolu.

domingo, agosto 15, 2010

São Roque


No dia 16 de agosto comemora-se o dia de São Roque, que pelo sincretismo, é XAPANÃ (a forma mais austera de Obaluaê). Quem nasce nesse dia tem um compromisso com a cura e com os cuidados aos idosos. No dia 16 de agosto comemora-se o dia de São Roque, que pelo sincretismo, é XAPANÃ (a forma mais austera de Obaluaê). Quem nasce nesse dia tem um compromisso com a cura e com os cuidados aos idosos.





Agosto - e Pai Omulú(16)
São Roque(Orixá Omulú) - Atotô !
Sincretizado com São Roque e São Lázaro, para alguns umbandistas, Omolú é considerado a esquerda de Obaluayê, daí a proximidade entre os dois. Porém, ele também se aproxima de Obaluayê por ser invocado, assim como esse último, para a cura de doenças, especialmente as contagiosas e aquelas que podem levar o doente à morte. Nesse sentido, recebe o título de Senhor da Varíola. Omulú, dentro de uma nova visão espiritual umbandista, é o orixá da energia cósmica que, ao penetrar em nossa atmosfera, recai sobre diversos habitats. Ele é um dos sete orixás (puros) tendo como desdobramento o orixá Nanã. Ele vive na Calunga pequena (cemitério), aí se dando a concentração maior de sua energia (positiva ou negativa). Seus sensitivos, ao manifestarem a presença de Omolú, curvam seu corpo a terra, ficando o mais perto possível dela. Representa também a grande transformação do ser, ter que morrer para o pequeno e renascer para o grande, sem precisar deixar a matéria (morte). Suas cores na Umbanda são o preto x amarelo ou branco x preto (mais relacionado aos pretos-velhos). Sua imantação compõe-se de deburu (pipocas feitas na areia), mamão, arroz. Flor: monsenhor amarelo; essência: cravo ou menta. Por sua relação com a morte, é reverenciado no cemitério ou campo santo e é extremamente respeitado.

http://yledaoxum.blogspot.com/
Imagem tb do Google

sábado, agosto 14, 2010

Inicio sem fim.

Se toda pessoa que diz ter Deus no coração tivesse a índole do estado de ser humano, ser gente, irmão.
Se alguém quisesse e tentasse fazer algo pelo próximo, e neste estado de querer sem poder tem uma visão incoerente da vida.
Ou seja, da sua própria e de outrem.
Estarei sendo cruel ou cego?
Serei eu "um pouco pior" ou desumano?
Estas indagações me perseguem mesmo procurando ajuda.
Não consigo compreender nem ter respostas.
Até quando estas indagações vão me perseguir só Deus sabe!




(Mary Cely)
Em uma longa e fria madrugada de agosto.
13/08/2010.





"A fé e o saber não se dão bem dentro da mesma cabeça: são como o lobo e o cordeiro dentro de uma jaula; e o saber é justamente o lobo, que ameaça devorar seu vizinho". – Arthur Schopenhauer

quarta-feira, agosto 11, 2010

DEUSA HATHOR



OS LOCAIS DE CULTO

Desde a primeira dinastia (3100-2890) que existe evidencia de Hathor no culto real. Há vestígios de um culto anterior, à Deusa Bast, que apresentava chifres e orelhas de vaca que esteve na origem do culto a Hathor.
O templo mais importante dedicado a Hathor situava-se em Dendera. Aqui era vista como a deusa do amor, da fertilidade e dos nascimentos.
Edfu era o outro local onde Hathor era cultuada, associada a Hórus , seu marido e filho. Hórus era o Deus Falcão, associado ao Ceú. Hathor passa então a ser vista como a “Senhora do Céu” . Como o Faraó era associado a Hórus, Hathor passou a ser considerada como a mãe divina. Um dos títulos do Faraó era “O Filho de Hathor”. Como mãe de Hórus, também a rainha do Egito se identificava com ela. A rainha era a mãe do Faraó, o Horus vivente.


OS ATRIBUTOS DA DEUSA HATHOR

A Deusa Hathor era uma divindade objeto dos mais diversos atributos. Era uma das deusas mais veneradas em todo o Egito e ao longo de toda a sua história. Como deusa, era objeto de devoção, não somente dos nobres, mas também dos mais humildes.
Hathor aparece como uma deusa ligada ao amor, ao erotismo, à fecundidade, à maternidade e aos nascimentos. Acreditava-se que quando uma criança nascia sete Hathores vinham à sua beira anunciar o fato. As sete Hathores conheciam o destino da criança e inclusive o momento da sua morte. Acreditava-se que no caso de um príncipe nascer com um mau destino, as Hathores trocavam-no por outra criança mais afortunada, protegendo assim a dinastia da nação.
Hathor também aparece associada à alegria, ao vinho, à dança e à música. Um dos símbolos da deusa Hathor era um instrumento musical, o sistro.
Hathor também era uma deusa com forte ligação ao faraó. Daí o seu culto ter sido fortemente incentivado. Como Senhora do Céu, era a esposa e mãe de Hórus e por isso a identificação do casal real com a deidade divina (Hathor e Horus).
Noutro contexto, Hathor era a senhora do ocidente. A zeladora da vida que em contexto funerário recebia os faraós no além. Era ela que acolhia o morto no dia do funeral e assistia à passagem do cortejo fúnebre, deixando o morto penetrar no além. Daí ser a senhora da necrópole de Tebas, a protetora dos defuntos.
A crescente popularidade do culto à Isis e Osíris levou a que esta deidade detivesse algumas funções de Hathor, acabando estas por fundir-se numa única divindade. É frequente Isís exibir uma simbologia própria de Hathor.





AS REPRESENTAÇÕES DA DEUSA

Hathor, tal como a maioria das divindades egípcias, pode adoptar diferentes formas de representação, mas aparece geralmente associada à figura de uma vaca. Pode aparecer como uma vaca com um disco solar entre os chifres; uma mulher com orelhas de vaca; uma mulher com orelhas de vaca e um disco solar; uma mulher com chifres e um disco solar. Também é frequente que a sua representação se identifique com o sistro, um instrumento musical, cujo som era semelhante à brisa nos papiros e que se acreditava que acalmava a ira dos deuses. Hathor era a deusa da dança e da alegria e o sistro era um instrumento indispensável nas suas festas, pelo que a representação deste instrumento aludia à deusa. Também os espelhos cosméticos se apresentavam com o cabo em forma de um sistro já que Hathor era também a deusa da beleza e das mulheres.



AS FESTAS RELIGIOSAS

Na festa mais popular em honra de Hathor, esta reunia-se temporariamente com o seu marido, Horus e produziam um filho, Horsontus, dando origem à festa da “Boa Reunião”. Nesta festa, Hathor viajava através do Nilo e consumava o casamento divino com Horus, que a aguardava em Edfu. Durante três semanas, Hathor ficava afastada de Dendera. Os egípcios participavam alegremente nestas festividades. A procissão descia o Nilo, ao longo de sessenta quilômetros e a barca, “A Bela de Amor”, transportava a estátua da deusa. Em Edfu, os sacerdotes preparavam o encontro no exterior do santuário. Este encontro ocorria à oitava hora do dia da lua nova do 11º mês do ano. Durante as festividades a deusa era saudada e aclamada com música tocada em sua honra. Seguidamente, dirigiam-se para o santuário onde os sacerdotes colocavam as barcas fora da água. Aí, Hathor saudava Ré, o sol, em companhia de Horus. No dia seguinte iniciava –se a festa de 14 dias, onde se realizavam rituais, sacrifícios, celebrações, etc. No final do banquete, Hathor e Horus separavam-se e declarava-se o fim das festividades.




OS CONTOS MITOLÓGICOS


Segundo uma das lendas mais populares do antigo Egito, A Lenda da Destruição da Humanidade, Ré, o grande Rei dos deuses e dos homens, pai de Hathor, envelheceu. Os homens aproveitaram-se da sua fraqueza e começaram a conspirar contra ele. Ré, sem saber como proceder, convocou os outros deuses. Estes aconselharam-no a mandar o seu olho, sob a forma de Hathor ao deserto, onde os homens com medo de Ré se haviam refugiado. Hathor dirigiu-se ao deserto e massacrou muitos homens, o que preocupou Ré, que temia que a humanidade inteira ficasse destruída. Ré apenas queria dar uma lição aos homens. Então Ré lembrou-se de misturar cerveja com ocre, para que parecesse sangue e espalhou esta mistura sobre os campos. Hathor pensou tratar-se de sangue e sorveu avidamente a mistura ficando embriagada. Quando ficou sóbria, a sua fúria havia desaparecido e Ré recebeu-a como o seu olho, o Sol. Desde aí, as servas passaram a preparar bebidas à Deusa. Assim Hathor passou a ser venerada como a Deusa do Vinho.
Este conto pertence ao Vale dos Reis, ao Império Novo e tem o título de “Livro da Vaca do Céu”.


A Deusa Hathor passa a ser venerada como duas faces da mesma natureza:
A irada, cheia de ódio e violência, adorada na sua transfiguração em Sekhmet; e a doce e satisfeita Hathor.

Noutro conto onde intervém Hathor, relatam-se as lutas de Hórus e Set.
Ambos queriam ser sucessores de Osíris e por isso compareceram perante Ré, o Senhor do Universo. Chu, Isis e Thot achavam que Hórus deveria ser o sucessor, mas Ré não estava convencido. Acusou Hórus de ser fraco. Os outros deuses ficaram zangados e Babai insultou Ré dizendo-lhe que o seu santuário estava a ser desprezado. Ré encolerizado atirou-se ao chão cheio de raiva. Foi Hathor quem salvou a situação. Como bela deusa que era, conhecedora das fraquezas do pai, foi para o jardim, tirou as roupas e exibiu os seus encantos. Ré riu-se e recuperou o bom humor. Saiu do jardim, convocou mais uma vez o Conselho dos Deuses e ordenou a Horus e Set que se defendessem. No final Hórus triunfou e derrotou Set. Esta vitória significou o triunfo do bem sobre o mal.
Hathor aparece-nos neste conto como uma deusa sedutora, cheia de lascívia, mas cujo contributo foi fundamental para acalmar a ira de um deus colérico. Ré acabou por se distrair, refletir e agir de forma ponderada




Fonte do Texto de pesquisa e Imagem
http://yvannasaraiva.blogspot.com/2009/04/deusa-hathor.html

segunda-feira, agosto 09, 2010

Milagres


Milagres são fatos extraordinários que não possuem uma explicação científica em base ao conhecimento atual. Ou seja, o que hoje pode parecer um milagre, no futuro poderá ser algo comum e banal. Certamente a medicina reconhece que há muitos casos de curas inexplicáveis e considera importante o estudo das curas ditas milagrosas para tentar descobrir como acontecem e, se possível, reproduzi-las, para adentrar em uma nova fase da medicina curativa. Para isso, conhecimentos médicos na área da psiconeuroimunologia, aliados a conhecimentos de física moderna, de filosofia e de misticismo, estão aos poucos trazendo luz no entendimento das curas milagrosas.

Para algo existir em nível físico, deve antes existir em um nível mais sutil, o nível da mente, conforme ensinamentos de Sidarta Gautama, o Buda: "A mente precede todas as coisas, domina todas as coisas, cria todas as coisas". Uma casa não aparece do nada. Primeiro ela deve ser pensada e planejada. Portanto, tudo o que existe, existe porque de alguma forma estamos de acordo com a sua existência.

O nível físico é composto de quatro elementos - fogo, água, ar e terra, e é constituído por átomos. Apesar da representação do átomo como tendo um núcleo central e partículas girando em volta ter sido ultrapassada, se imaginarmos uma esfera de 60 centímetros como o núcleo central, tudo o que gira em volta estaria a uma distância de três quilômetros! Nesse aparentemente imenso vazio teríamos o éter ou o "quinto elemento" de Aristóteles, que interpenetraria o Universo preenchendo todos os espaços e conectando tudo. A sua frequência vibratória seria superior à da velocidade da luz e tal energia se densificando daria aparecimento à matéria. O éter foi chamado por Isaac Newton de "o espírito da matéria" do qual tudo se originaria. Seria a "fonte dos milagres" dos alquimistas, ou seja, o elemento que pela ação do pensamento poderia ter a sua frequência vibratória diminuída, materializando o fruto da mente. E, em relação à saúde, é de conhecimento antigo o dito "mente sã em corpo são".

Para a medicina, a saúde caracteriza-se pelo equilíbrio de todas as funções do individuo e de suas relações com o meio-ambiente, resultando um estado de bem-estar físico, mental e social onde a harmonia é mantida pelo tripé formado pelos sistemas imunológico, endócrino e cérebro-espinhal, que agem de forma integrada, adequando as respostas adaptativas do organismo aos estímulos externos. Sendo cada célula do nosso corpo uma pequena bateria biológica, a interface entre a mente (consciente e subconsciente) e o corpo, seria principalmente pelo cérebro que atuaria como um transformador entre frequências vibratórias de diferentes magnitudes.

A mente subconsciente é o repositório da memória racial, social, religiosa e também dos desejos, dos prazeres e dos padrões a que estamos sujeitos do nascimento (e talvez desde a vida intrauterina) até a idade da razão, quando começa então a participação da mente consciente que é a mente que, com base nas informações recebidas do meio exterior pelos órgãos dos sentidos, raciocina, julga, decide e imagina. E o cérebro compara com o passado, analisa a perspectiva do futuro e transforma pensamentos e emoções em neurotransmissores que atuam nos órgãos-alvo, modulando a frequência das vibrações energéticas. Porém, se houver conflito entre a mente subconsciente e a mente consciente, não haverá integração entre o que desejamos e o que foi programado no nosso comportamento, resultando uma desarmonia no padrão energético do organismo. Desarmonia que pode se manifestar como infelicidade, estresse ou doença.

Com a desarmonia manifestando-se, por exemplo, como um câncer, uma cura imediata poderia acontecer assim que fosse restabelecido o padrão normal de vibração dos elementos da matéria, com a reversão das células doentes em células sãs. A esse respeito é interessante o registro de que lá pelo ano de 1300, na Itália, a Peregrino Laziosi foi diagnosticado câncer na perna, que por isso, deveria ser amputada. Preocupado e com muito medo, na véspera da cirurgia ele rezou com fervor a noite toda e adormecendo sonhou que Jesus descia da cruz e, tocando-lhe a perna, o curava. No dia seguinte, para surpresa dos médicos, quando foram retirados os curativos, não havia mais nenhuma lesão na perna. Portanto, do mesmo modo como uma alteração orgânica pode se originar a partir da mente, a mente também pode restaurar a frequência vibratória normal das células, com o consequente restabelecimento "milagroso" da saúde. E não são poucas as evidências científicas de que o pensamento pode modificar a matéria e de que os mecanismos mentais são importantes na cura das doenças. Tese esta defendida por muitos estudiosos, entre os quais, Bernie Siegel, Franz Alexander, William Osler, Tilden Everson, Warren Cole, Edward Bach, Celso Charuri, Masaru Emoto e Patrick Drouot.





Na direção de uma cura milagrosa, parece promissor, então, utilizar a mente consciente na programação da mente subconsciente através de repetidas ordens e visualizações feitas com emoção, fervor e em estado ampliado de consciência. E as curas milagrosas dependeriam de terceiros na medida em que fosse mais fácil depositar a fé em alguém ou em alguma coisa fora de nós do que em nós mesmos. Porém, enquanto os esforços, a fé e o fervor não forem merecedores da cura energética ou vibracional a partir do corpo mental, deve-se buscar tratamento médico para uma intervenção direta no corpo físico.

Quando há integração entre a mente consciente e a subconsciente, a resultante é a saúde, a felicidade e a paz. E o sentimento integrador por excelência é o Amor. Amor que faz amar tudo e ter compaixão por todos. O oposto do Amor é o egoísmo, e assim como a partir de uma única célula doente todo o organismo pode vir a ser gravemente afetado e morrer, também a partir de um único pensamento egoísta pode atenuar-se a luz da expressão dos atributos da alma, trazendo escuridão, tristeza e doenças. E é pelo Conhecimento e pelo despertar da Autoconsciência que o homem vai poder se curar e nascer para a Vida Eterna.



Fonte do Texto e Imagem
http://wwwjaneladaalma.blogspot.com/

sábado, agosto 07, 2010

Agradecendo 20 mil visitas!

glitters


Bem este espaço está em festa
Completamos 20.000 mil visitas.
Não sem dificuldades, mas as comemorações serão apenas,
Desenvolvidas em um empenho maior de novas pesquisas.
Junto à felicidade de saber que está sendo visitado dá um prazer imensurável
Isto nós edifica e faz-nos enxergar a Luz do fim do túnel.
Os que nos visitam nossos sinceros agradecimentos.
Ficamos felizes se não esta como deve, estamos tentando retificar os erros.
Agradecemos a colaboração de todos.
Sinceros e cordiais agradecimentos.
Tentando Acertar em cima dos erros.

Inicio de 03 de dezembro de 2009 à 06 de julho de 2010.

sexta-feira, agosto 06, 2010

Deusa negra-O Chamado





As Deusas Negras são deidades que se conectam com as luas escuras (nova, minguante) e possuem diversos atributos. São senhoras da morte e da ressureição, dos oráculos, e são utilizadas geralmente para trabalhar a nossa sombra. Da mesma forma que a Deusa Tríplice, as Deusas Negras são um aspecto dessa Deusa, e também tem uma Carga ou Chamado, que eu vou apresentar agora:

Eu sou as trevas por trás e por baixo das sombras.
Eu sou a ausência de ar que espera no início
de cada respiração.
Eu sou o fim antes que a vida recomece,
a deterioração que fertiliza o que vive.
Eu sou o poço sem fundo,
o esforço sem fim para reivindicar o que é negado.
Eu sou a chave que destranca todas as portas.
Eu sou a glória da descoberta, pois eu sou
o que está escondido, segregado e proibido.
Venha a mim na Lua Negra e veja
o que não pode ser visto, encare o terror que é só seu.
Nade até mim através dos mais negros oceanos, até o centro de seus maiores medos.
Eu e o Deus das trevas o manteremos em segurança.
Grite para nós em terror e seu será o poder
de suportar o insuportável.
Pense em mim quando sentir prazer e eu o intensificarei.
Até o dia em que eu terei o maior prazer
de encontrá-lo na encruzilhada entre os mundos.
Sabedoria e a capacidade de dar poderes são
os meus presentes.
Ouça-me, criança, e conheça-me por quem eu sou.
Eu tenho estado com você desde o seu nascimento
e ficarei com você até que você retorne a mim no crepúsculo final.
Eu sou a amante apaixonada e sedutora
que inspira o poeta a sonhar.
Eu sou aquela que te chama ao fim de sua jornada.
Quando o dia se vai, minhas crianças encontram seu descanso
abençoado em meus braços.
Eu sou o útero do qual todas as coisas nascem.
Eu sou o sombrio, silencioso túmulo;
todas as coisas devem vir a mim
e suportar a morte e o renascer para o todo.
Eu sou a Bruxa que não será governada, a tecelã do tempo,
a professora dos mistérios.
Eu corto as linhas que trazem minhas crianças até mim.
Eu corto as gargantas dos cruéis e
bebo o sangue daqueles sem coração.
Engula seu medo e venha até mim, e você descobrirá
a verdadeira beleza, força e coragem.
Eu sou a fúria que dilacera a carne da injustiça.
Eu sou a forja incandescente que transforma
seus demónios internos em ferramentas de poder.
Abra-se a meu abraço e domínio.
Eu sou a espada resplandecente que te protege do mal.
Eu sou o cadinho no qual todos os seus aspectos se misturam
em um arco-íris de união.
Eu sou as profundezas aveludadas do céu noturno,
as brumas rodopiantes da meia-noite, coberta de mistério.
Eu sou a crisálida na qual você irá encarar o que te apavora
e da qual você irá florescer vibrante e renovada.
Procure por mim nas encruzilhadas e você será transformada,
pois uma vez que você olhe para meu rosto não existe volta.
Eu sou o fogo que beija as algemas e as leva embora.
Eu sou o caldeirão no qual todos os opostos crescem
para se conhecer de verdade.
Eu sou a teia que conecta todas as coisas.
Eu sou a curadora de todas as feridas,
a guerreira que corrige todos os erros a seu tempo.
Eu faço o fraco forte.
Eu faço humilde o arrogante.
Eu ergo o oprimido e dou poderes ao desprivilegiado.
Eu sou a justiça temperada com compaixão.
Eu sou você, eu sou parte de você,
estou dentro de você.
Me procure dentro e fora e você será forte.
Conheça-me, aventure-se nas trevas
para que você possa acordar com equilíbrio,
iluminação e plenitude.
Leve meu amor consigo a toda parte
e encontre o poder interior para ser quem você quiser.

Fonte:ladydranilla

Fonte do texto e Imagem do Blog Citado.
http://brumasdocarvalho.blogspot.com/

Reflexão

Estou aprendendo que a maioria das pessoas não gostam de ver um sorriso nos lábios do próximo.Não suportam saber que outros são felizes... E eles não! (Mary Cely)