Herbário Póetico

Espaço destinado a divulgaçao de: Receitas, Crenças. Misticismo Chás, Ervas&Aromas. Medicina Convencional Fitoterápico e Alternativo! Tudo que se relaciona com coisas naturais! Sem fins lucrativos. Nosso prazer e ver você informado. Agradecemos sua visita! Volte Sempre!

Inteligentes &Perpicazes

Total de visualizações de página

quarta-feira, dezembro 26, 2012

O Que Deus Não Prometeu






Deus não nos deu a promessa de haver um céu sempre azul sendas juncadas de flores, ausência de vento sul.
         Deus não nos deu a promessa de haver sol sem chuva, de haver gozo sem tristeza e nem paz sem afrição.

          Deus não nos deu a promessa de escaparmos ao labor, tentações e provas rudes, doenças, miséria e dor.

          Ele não nos disse nunca, que não vamos suportar encargos sérios, penosos, preocupações, pesar.

          Mas Deus nos deu a promessa de força adequada ao dia, de descanso ao fatigado, luz que a salvo os pés nos guia, graça em meio às provações, alívio em meio a dor, compaixão perene e terna, eterno e perfeito amor.

Hubner Braz

http://www.pecadorconfesso.com/2010/05/o-que-deus-nao-prometeu.html

quinta-feira, dezembro 20, 2012

Rebeldia e revolução










O homem ainda não chegou ao ponto em que os governos possam ser descartados. Anarquistas como Kropotkin são contra o governo, a lei. Ele queria que isso acabasse. Eu também sou anarquista, mas de um modo completamente contrário ao de Kropotkin.

Eu quero elevar a consciência da humanidade até o ponto em que o governo se torne inútil, os tribunais fiquem vazios, ninguém seja assassinado, ninguém seja estuprado, ninguém seja torturado ou molestado.

Vê a diferença? A ênfase de Kropotkin é acabar com os governos. Minha ênfase é elevar a consciência dos seres humanos até o ponto em que os governos passem a ser, espontaneamente, inúteis; até o ponto em que os tribunais comecem a fechar, a polícia comece a desaparecer porque não há trabalho, e é dito aos juízes, "Achem outro trabalho".

Sou um anarquista de uma outra dimensão muito diferente. Primeiro, deixe que as pessoas se preparem, e então os governos desaparecerão por conta própria.

Não sou a favor de acabar com os governos; eles estão preenchendo uma certa necessidade. O homem é tão bárbaro, tão vil, que, se não fosse impedido pela força, toda a sociedade seria um caos.

Não sou a favor do caos. Quero que a sociedade humana se torne um todo harmonioso, uma grande comunidade em todo o planeta: pessoas meditando, pessoas sem culpa, pessoas de grande serenidade, de grande silêncio; pessoas rejubilando-se, dançando, cantando; pessoas que não querem competir com ninguém; pessoas que descartaram a própria ideia de que são especiais e têm de provar isso tornando-se o presidente da república; pessoas que não sofrem mais de complexo de inferioridade. Então ninguém quer ser superior, ninguém ostenta grandeza.

Os governos evaporarão como gotas de orvalho sob o sol da manhã. Mas essa é uma história totalmente diferente, um enfoque totalmente diferente. Até que chegue esse momento, os governos são necessários.

É muito simples. Se você está doente, precisa de remédios. Um anarquista como Kropotkin quer destruir os remédios. Eu quero que você seja tão saudável que não precise de remédios.

Você automaticamente os jogará fora — o que fará com todos esses remédios? Eles são absolutamente inúteis, na verdade, perigosos; a maioria dos remédios é veneno. Para que você continuará a acumulá-los?

Veja a diferença na ênfase. Eu não sou contra os remédios, sou contra a doença dos seres humanos que faz com que os remédios sejam necessários. Eu gostaria de ver um ser humano mais saudável — o que é possível com a engenharia genética —, um ser humano sem possibilidade de ficar doente porque nós o teríamos programado, desde o nascimento, de modo que ele simplesmente não possa adoecer, teríamos feito arranjos no seu corpo para que ele combata qualquer doença.

Certamente a medicina desapareceria, as farmácias desapareceriam, os médicos desapareceriam, as faculdades de medicina fechariam as portas. Mas eu não sou contra eles! Essa será simplesmente uma conseqüência de uma humanidade saudável.

Eu quero um só mundo, uma só língua, uma só religiosidade, uma só humanidade — e, quando a humanidade tiver realmente amadurecido, um só governo.

O governo não é algo do qual possamos nos gabar. É um insulto. A existência dele é uma indicação de que você ainda é bárbaro, de que ainda não existe uma civilização; do contrário, para que seria preciso um governo para mandar em você?

Se todos os crimes desaparecerem, se todos os medos de que outras pessoas possam explorar você, assassinar você, desaparecerem, o que você fará com toda essa burocracia do governo?

Você não pode deixar que ele continue, pois ele é um fardo para a economia da nação, um grande fardo, e vai ficar cada vez maior.

Osho, em "Liberdade: A Coragem de Ser Você Mesmo"


Leia mais: http://www.palavrasdeosho.com/

quinta-feira, dezembro 13, 2012

As armadilhas da mente













Meditação é uma prática muito saudável para o corpo, a mente e o espírito, principalmente nos agitados dias atuais.

Existem várias técnicas diferentes, algumas muito carregadas de misticismo, no entanto a meditação é uma coisa muito simples, nada mais do que sentar-se confortavelmente, de preferência num ambiente silencioso, e esvaziar a mente de qualquer pensamento.

Difícil no início? Com certeza. Nossa mente é um constante burburinho, mas com a prática vai ficando cada vez mais fácil.

Encontrei na web este excelente texto que trata das armadilhas da mente, muito útil para nós ocidentais que não temos a mesma familiaridade, com esse tipo de prática, como os orientais.

“Quando se fala em "desligar a mente" durante a meditação, seria como falar em desligar um gigantesco computador, muito poderoso, que tem medo de ser desligado. Aí, então, esse computador começa a preparar armadilhas... Pois é; a mente é mais ou menos assim quando você medita. Meditar é estar em um foco, que lhe permita relaxar a lógica. Estar em um foco é permanecer conectado à sua âncora, seja ela qual for. Pode ser o movimento do abdome, poder ser a atenção na respiração, a pronúncia de um som específico; pode ser até apenas o espaço do agora, mas sempre haverá uma âncora quando se meditar.

Relaxar a lógica é não se envolver nas sequências de pensamentos que forem surgindo em sua mente. Como? Repetidamente "abandonando", soltando", "libertando" os pensamentos e voltando para a âncora.

Mas, aí surge o problema: a mente não pretende ser desligada. Nosso computador mental não pretende ajudar nesse exercício. Para a maioria das escolas meditativas, esse é um dos princípios mais básicos para se entender, e vamos explicar isso melhor, abaixo.

De acordo com essas escolas, se dividirmos didaticamente o nosso "ser", poderíamos dizer que há um ser "atuante" e um ser "existente". Existiria um "eu" que atua no mundo, que fornece a nossa identidade social, composto por raciocínio, emoção, instinto, corpo físico, idade, sexo, profissão, etc. Esse "eu" atua no mundo e nos identificamos completamente com ele.

O outro "eu", seria aquele que existe, antes de tudo. Simplesmente existe. É um "ser" que vem antes do corpo, do raciocínio, do instinto, de identidade social, do sexo, da idade, enfim, de tudo que possamos usar para dar identidade a alguém. É a chamada "pura existência". Esse ser esteve presente quando éramos jovens, quando envelhecemos, quando celebramos, quando choramos. Ele nunca foi jovem, mas estava lá no começo de nossas vidas. Ele não ficou velho, mas presencia nossa idade madura. Ele nunca celebrou, mas assistiu nossa celebração na mais absoluta paz. Ele jamais chorou, mas estava presente, em perfeito equilíbrio, enquanto chorávamos.

Nosso ser completo seria formado pela soma dos dois seres. Sim, isso mesmo, pela soma do superficial e do profundo, pois mesmo a superfície do mais profundo oceano ainda é parte do oceano. A chamada "consciência desperta" seria a percepção deste ser completo, a cada momento.

Quando as correntes místicas orientais falam sobre o ego, elas falam sobre uma falsa identidade, que se formaria quando acreditamos que tudo que somos é o "ser atuante". Essa identificação com este "meio-ser", sem entender o "ser completo", é que formaria o ego. Ao contrário do que muitos pensam, o ego não é o alvo a ser destruído na meditação, mas sim algo que deve ser entendido, quando se percebe que o ser "atuante" é apenas uma parte do que somos em totalidade.

Quando meditamos, com o tempo encontramos espaços de silêncio interno, e "o ser existente" começa a aflorar. Na mesma proporção, o "ser atuante" sente-se ameaçado. É por isso que alguns meditadores, quando atingem determinados estágios, relatam experiências onde sentiram muito medo, e falam sobre um medo tão grande que "parecia que iam morrer". A partir desse momento, começa a luta do "ser atuante", que também podemos chamar de "armadilhas da mente".

Quais as principais armadilhas da mente? Várias. As ideações positivas, quando pensamos sobre como estamos indo bem enquanto meditamos e, assim, nos envolvemos em outras sequências de pensamentos. A sensação de poder, que gera arrogância e alimenta o ego. O orgulho de estarmos aparentemente em evolução "espiritual", e não há orgulho maior do que o orgulho espiritual. A vaidade de ser visto como alguém que vive sem tantas necessidades, e não há ostentação maior do que a vaidade de não ter vaidades. O tato intuitivo crescente, que nos faz parecer poderosos magos, quase que adivinhos das sensações e necessidades alheias. A capacidade de meditar, em qualquer circunstância, por muito tempo, que é usada como um troféu perante outras pessoas. Até mesmo o rótulo de "buscador", de alguém que está "a caminho" de alguma coisa, com o qual nos identificamos como com qualquer outro rótulo. Por fim, o medo sem explicação aparente, conforme já descrevemos acima.

Vejam que todas essas armadilhas apenas alimentam o ego, e quando o ego é alimentado ele é inchado, permanece em soberba, e parece cada vez maior e mais poderoso, ao invés de ser percebido como apenas uma parte de nós. São as armadilhas da mente. É simples assim. Um mecanismo de defesa de um "ser" (o ser atuante) que pensa que vai morrer e precisa se defender. Quando estamos no espaço de consciência, é possível vislumbrar que não somos apenas isso. A consciência plena compreende o engano do ego, mas o ego não é capaz de compreender a consciência plena, acredita que corre risco de desaparecer, e luta como pode para evitar isso.

Como evitar esses riscos quando se pratica meditação? Apenas meditando, cada vez melhor. A prática continuada irá desbastando essas barreiras. Não se rotule. Não faça "pose de meditador". Não pense que alcançou, pois enquanto for possível pensar que algo foi conquistado, aí ainda estará o ego em operação. Na verdade, nem procure alcançar nada, pois tudo se dissolverá - até mesma sua intenção de busca - antes de começarmos a perceber a nossa mais profunda natureza. Esqueça a "conquista"; esqueça a "busca"; esqueça a "iluminação". Esses são conceitos, e conceitos pertencem ao mundo da lógica.

Medite. Viva. Esteja aqui, agora. Perdoe-se por ainda não estar em completa paz. Seja, sem precisar saber o que exatamente você é. Relaxe no não-saber. Aceite. Sinta. Você já é. Você sempre foi...”

Roberto Cardoso
Fonte: http://www.redepsi.com.br/portal/modules/soapbox/article.php?articleID=693

Imagem: lipocentersorocaba.com.br

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e  sugira temas ou modificações.

terça-feira, novembro 27, 2012

Ervas Finas


Délicieux !
Dentre as combinações criadas pelos franceses, duas são bem conhecidas e utilizadas na culinária brasileira:
 Bouquet garni :

Essa mistura é feita de 1 folha de louro, 1 galho de tomilho, 3 galhos de salsinha e 1 talo de alho-poró  na versão clássica  e alguns também contem sálvia e/ou alecrim nas variações.



Serve para dar sabor a caldos, sopas, molhos e ensopados. As ervas podem ser amarradas com um pedaço de alho-poró, amarrada a um barbante ou envolvidas em pequenos pedaços de pano fino de forma a serem retirados ao final do cozimento.






Ervas finas (fines herbes) :






É uma delicada combinação de partes iguais de cebolinha, cerofólio, estragão e salsinha picadas, ideal para aromatizar pratos com ovos, carnes, legumes, peixes , crustáceos, saladas e molhos cremosos.




Fonte Texto e Imagem:
http://www.bemfeitinho.net/site/conteudo/5529-especialidades-francesas-bouquet-garni-e-erva.html?menu_id=315

quarta-feira, novembro 21, 2012

Medicina Fitoterapica








Emagrecer com fitoterapia

A fitoterapia é o tratamento de várias doenças através das plantas medicinais e suas suas substâncias especiais


Utilidades das plantas:

acalmar
cicatrizar
expectorar
engordar
emagrecer
Para quem deseja perder peso, esta medicina popular aconselha o recurso a alimentos que ” curam” as principais causas do aumento de apetite, são alimentos com propriedades diuréticas e digestivas e que ajudam a controlar o apetite.

Alimentos aconselhados:

abacaxi
alface,
alcachofra
aquemila
alho-porro
carqueja,
café-do-mato
chá-de-bugre
juá (raiz)
maçã (chá das cascas ou duas colheres de vinagre de maçã por dia, seja em saladas, ou depois das refeições)
limão
sabugueiro
salsa
farelo de trigo
gelatina
lecitina de soja
garcínia
fibras de maracujá.

Caralluma Fimbriata





Como funcionam as pílulas?
Algumas substâncias extraídas da natureza podem, sim, dar um empurrão na dieta – não há dúvida nisso. A notícia é que, agora, três delas viraram as queridinhas de médicos e nutricionistas que adotam a fitoterapia como coadjuvante no emagrecimento. Vendidas em cápsulas, a faseolamina, o Citrus aurantium e a Caralluma fimbriata têm efeito parecido aos da nova geração de medicamentos convencionais, que reduzem a fome, aceleram o metabolismo e (maravilha!) impedem parte da absorção do carboidrato. Isso mesmo: você pode secar as gordurinhas sem cortar de vez as massas do cardápio. Muitas mulheres – mesmo aquelas que resistem aos remédios alopáticos para emagrecer – estão se rendendo a essas substâncias por serem naturais e agirem de maneira suave, sem mexer com o equilíbrio do organismo. Mas nada de se automedicar. Apenas as farmácias de manipulação – autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – podem preparar as pílulas na concentração recomendada por um profissional habilitado (endocrinologista, clínico-geral ou nutricionista com conhecimento em fitoterapia, ou seja, nos benefícios das plantas).







 Isso também evita que você jogue dinheiro fora.
 “Doses erradas podem ser perigosas ou simplesmente não funcionar”, avisa a ginecologista Ceci Mendes Carvalho Lopes, presidente nacional da Associação Médica Brasileira de Fitomedicina (Sobrafito).
Mas não espere milagre.
 Para o resultado na balança aparecer, você precisa fazer sua parte: moderar no doce e no refrigerante e cortar fritura.
 Deixe também a vida sedentária de lado
. Falta disposição?
 Além de queimar gordura, um dos fitoterápicos dá pique para você malhar e ganhar músculos.



http://plastica2010.blogspot.com.br/2010/12/caraluma.html

quarta-feira, novembro 14, 2012

Nunca busque reconhecimento




Os pais, os professores estão sempre enfatizando que você precisa obter reconhecimento, aceitação. Isso é urna estratégia muito astuciosa para manter as pessoas sob controle.

Aprenda uma coisa fundamental: faça aquilo que você gosta de fazer, adora fazer. E nunca busque reconhecimento; isso é mendigar.

Por que a pessoa deveria buscar reconhecimento? Por que alguém deveria desejar ser aceita?

Olhe bem para dentro de si mesmo. Talvez você não goste do que faz; talvez esteja receoso de estar no caminho errado. Talvez, por isso, procurar obter aceitação o ajude a sentir que está certo. É possível que você ache que o reconhecimento o fará sentir que está buscando o objetivo correto.

O problema é com seus próprios sentimentos íntimos; ele não tem nada a ver com o mundo exterior. E por que depender dos outros? Todas aquelas coisas dependem dos outros — e você mesmo está tornando-se dependente.

Não aceitarei nenhum Prêmio Nobel. Toda crítica que tenho recebido de todas as nações do mundo, de todas as religiões é mais valiosa para mim! Aceitar o Prêmio Nobel significa que estou tornando-me dependente — não terei orgulho de mim mesmo, mas do Prêmio Nobel.

Contudo, neste exato momento só posso sentir orgulho de mim mesmo; não há nada de que eu possa orgulhar-me. Neste último caso, sim, você se torna uma pessoa.

E ser uma pessoa que vive em total liberdade, que caminha com os próprios pés, que bebe das próprias fontes, é o que a torna realmente firme, segura. Isso é o começo de seu florescimento máximo como criador.

Aqueles a que se têm como figuras reconhecidas, renomadas, são pessoas atulhadas de lixo e nada mais. Mas o lixo que as enche é aquele com o qual a sociedade quer que elas fiquem cheias — e a sociedade as recompensa dando-lhes prêmios. 

Qualquer pessoa que tenha a mínima consciência da sua individualidade vive movida pelo seu próprio amor, seu próprio trabalho, sem se importar infimamente com o que os outros pensam dele.

Quanto mais valioso o seu trabalho é, menor a chance de você obter respeito por ele. E quando seu trabalho é o de um gênio, você não obtém nenhum respeito durante a vida. Você é condenado enquanto ela dura... depois, passados dois ou três séculos, fazem estátuas de sua pessoa, seus livros são respeitados — pois são necessários dois ou três séculos para que a humanidade entenda a grandiosidade do gênio. É grande o abismo entre ele e a capacidade de entendimento dela.

Para ser respeitado pelos idiotas, você tem que se comportar à maneira deles, de acordo com as expectativas deles. Para ser respeitado por esta humanidade doentia, você tem que ser mais doentio do que ela. Assim, ela o respeitará. Mas o que você ganhará com isso? Você perderá sua alma e não ganhará nada.

Osho, em "Criatividade - Liberando Sua Força Interior"
Imagem por beast love


Leia mais: http://www.palavrasdeosho.com/#ixzz2CBCIUcvF

http://www.palavrasdeosho.com/2012/11/nunca-busque-reconhecimento.html

sexta-feira, novembro 09, 2012

Noni - Morinda citrifolia



O Noni cujo nome científico é Morinda citrifolia foi descoberto na Polinésia Francesa e Havaí e tem sido utilizado com êxito há mais de 2000 anos em outros países. Pouco conhecido ainda no Brasil, o Noni atualmente é bastante consumido nos Estados Unidos, no Japão, na China, na Índia, na Austrália e em grande parte da Europa.



O fruto é verde, parecido com a fruta do conde, aparecendo geralmente apenas em forma de suco engarrafado. Existe um grande interesse na sua utilização na medicina popular devido às “supostas propriedades farmacológicas” que possui; chega-se a afirmar que alcance mais de 120 problemas de saúde que podem ser tratados, e até curados, com a planta e seus extratos. 



Apesar da dificuldade de encontrá-lo in natura, o maior mistério em relação ao noni - e que também reforça sua popularidade - tem a ver muito mais com as suas supostas propriedades terapêuticas. Há muitos trabalhos científicos em execução com o objetivo de avaliar se o noni realmente tem propriedades medicinais, como atividades antibiótica, antiinflamatória, analgésica, e, até mesmo,  inibidora do câncer. O seu mecanismo de ação ainda é desconhecido, com alguns estudos em fase inicial (in vitro e em animais) sugerindo atividade antioxidante, anti-angiogênica e anti-tumoral, o que se deve a seus componentes, em especial às antraquinonas. 




A presença de ômega 6 e óxido nítrico dilataria os vasos, melhorando a oxigenação e, conseqüentemente, a memória
Especialistas dizem que a fruta contém betacaroteno, precursor da vitamina A, e acubina, que agrega propriedades antibióticas
Possui escopoletina, substância antibacteriana, antifúngica e antiinflamatória, que também ajuda a dilatar os vasos sanguíneos — o que faria baixar a pressão arterial 
A fruta é rica em vitamina C







Entretanto existem relatos de algumas reações adversas associadas ao seu consumo. O suco de noni pode ocasionar elevação das enzimas hepáticas (lactato desidrogenase e transaminases), diminuir o trânsito gastrintestinal (interagindo com medicações que são usadas por via oral), potencializar o efeito dos antiinflamatórios e impedir o crescimento de novos vasos sanguíneos,  devendo ser usado com cautela em pacientes com lesões e no pós-operatório. 

O suco industrializado de noni contêm alto teor de açúcar e de potássio, o que pode ser potencialmente prejudicial em diabéticos e doentes com comprometimento da função renal. Além disso, por conta do seu efeito antioxidante, o noni pode interagir com a radiação ionizante e os quimioterápicos, estando contra-indicado em pacientes em quimioterapia ou radioterapia.


Seus efeitos nutritivos despertaram o interesse em muitos profissionais da área de saúde, inclusive do respeitado Dr. Neil Solomon, Ph.D., que pessoalmente vem pesquisando todos os benefícios à Saúde Humana do consumo regular do Suco Natural da Fruta Noni.
"Como é possível que o Suco de Noni tenha ajudado a tanta gente em tantas situações diferentes? Qual seria o segredo? Cheguei à conclusão de que uma média de 78% de mais de 15.000 pessoas que tomaram Suco de Noni regularmente, com acompanhamento científico, beneficiaram-se de alguma forma, desde uma simples dor de cabeça até as doenças mais graves do mundo moderno." Dr Neil Solomon foi prestigiado com o prêmio Schwentkner, por sua excelência em pesquisa.




O Noni contém muitos alcalóides que ajudam ao corpo humano a regenerar as cédulas danificadas e a incrementar as defesas do mesmo, de forma natural.



Entenda porque, segundo o Dr Neil Solomon, o Noni faz bem:
Ao dividir os muitos usos do Suco de Noni e as descobertas científicas e o como e o porque podemos nos beneficiar com o rico suplemento de xeronina, nós estamos dando uma grande contribuição para o objetivo de termos um mundo mais saudável.




Dá suporte ao sistema imunológico
Melhora o bem estar
Melhora a digestão
Reduz inflamações
É um antioxidante efetivo

Existe um espaço específico em certas proteínas que as permitem assimilarem a xeronina. Muitas destas proteínas não são capazes de realizar nenhuma de suas funções sem a xeronina.



Nem todas as proteínas precisam da xeronina para funcionar, mas muitas proteínas vitais que agem como hormônios, anticorpos e enzimas precisam da xeronina. A xeronina torna possível para as proteínas executarem suas funções, responsabilidades. Elas dão estrutura ao cabelo, pele e ossos. Proteínas permitem, viabilizam a maior parte da estrutura do corpo, até mesmo a própria célula. Elas permitem o transporte de substâncias, ligando-se a importantes nutrientes permitindo-lhes que passem pela membrana celular.





Proteínas também agem como hormônios no corpo. E com esta capacidade elas coordenam todo o processo do corpo a nível molecular.  elas agem como anticorpos para dar suporte ao sistema imunológico. Os anticorpos atacam os invasores destrutivos, (como também os vírus), e os incapacitam.



Quando nós bebemos o suco de fruta de Noni, a Proxeronina passa pelo nosso aparelho digestório e intestinal, onde é absorvido e, em seguida, armazenado no fígado. O fígado é o principal lugar de estocagem da proxeronina. A cada 8 horas, deveria liberar uma certa quantidade desta Proxeronina na corrente sanguínea, onde seria convertida em Xeronina (substância assimilada pelas proteínas). Através da corrente sanguínea ela é então transportada para todos os tecidos do corpo. O segundo maior lugar de armazenamento é a pele. A proxeronina é transformada em xeronina em todo o corpo, incluindo a pele. E uma considerável quantidade de proxeronina é necessária para manter uma pele, couro cabeludo e cabelo saudáveis. Ao usar os produtos de cuidados da pele e cabelo contendo proxeronina, quaisquer condições de pele, couro cabeludo ou cabelo, apresentam uma melhora muito boa. Nós descrevemos somente algumas aplicações de uma extensa lista das quais se pode ter uma melhora e do fantástico potencial que a xeronina pode ter.

CULTIVO



Seleção de local
Selecione um local com sol total ou parcial, com terra bem arejada, bem drenada. Evite terras pesadas, áreas compactas, e locais inundados. Prepare um buraco do tamanho do vaso e transplante cuidadosamente.

Espaçamento
Pode se plantar ate 700 plantas por hectare, usando espaçamento de 3 ou 4 metros por pé. Densidades mais altas de plantio (espaçamento mais próximo das plantas) podem abrir a porta a problemas de doença (na planta, claro).

Solos
O Noni é uma planta rara, porque pode tolerar e pode prosperar num vasto leque de terras e condições. Na verdade ele cresce sob quase qualquer condição de terra em altitudes baixas. Veja este Noni crescendo na lava




Poda
Plantas jovens podem ser podadas severamente depois ou durante sua primeira produção de fruta. Nos seguintes anos, a copa das plantas podadas se tornarão densas. Na natureza as árvores de noni podem alcançar uma altura de aproximadamente 7 metros, então se sugere aos cultivadores cortar os ramos verticais das plantas maduras para facilitar a colheita de fruta.


Nutrição e fertilizante
A quantia de nutrientes e a freqüência de aplicações de fertilizante necessário por noni depende da terra e chuva. As árvores de Noni crescendo nas florestas normalmente são saudáveis sem o benefício de qualquer fertilizante artificial. Em geral, no entanto, se o objetivo do cultivo é a produção intensiva de fruta (num cenário agrícola), um programa de fertilização é recomendado. O noni produzirá melhor com aplicações relativamente freqüentes de quantias pequenas de fertilizante. O Noni é sal-tolerante, e também tolera níveis altos de sais de fertilizante na zona de raiz sem estrago ou queimadura à planta.

A estratégia para fornecer nutrientes ao noni é semelhante ao que é feito com qualquer outra fruta, como os cítricos ou o café. Plantas jovens de noni ainda sem frutificar são encorajadas a produzir um crescimento acelerado com fertilizantes equilibrados tal como 14-14-14. A medida que as plantas amadurecem (plantas já florescendo/frutificando) são encorajadas a produzir muitas frutas grandes com a aplicação de fertilizantes de alto conteúdo de fósforo, tal como 10-20-20 ou 1-45-10.

O fertilizante deve ser aplicado longe do tronco da árvore, na "linha de gotejamento" da planta, na borda da área coberta pela copa.

As plantas de Noni de todas idades respondem bem também a fertilizantes de uso foliar. A flor de Noni e produção de fruta são muito beneficiadas com a micro aspersão de fertilizante foliar com alto conteúdo de fósforo, nitrogênio e micro elementos.



Irrigação
O Noni prospera sem irrigação artificial e pode sobreviver períodos estendidos de seca uma vez estabelecido. Quando as plantas são menores de 2-3 anos, é bom irrigá-las uma vez ou mais por semana, com as plantas já mais velhas, irrigá-las menos freqüentemente. Aqui no Nordeste, nos períodos de maior intensidade solar, é recomendado que irrigação seja pela manhã ou ao entardecer, na horas mais frias do dia.



ColheitaO noni frutifica o ano todo, embora há tendências cíclicas na quantia da produção de fruta que podem ser afetada ou pode ser modificado pelo tempo e por fertilizante e irrigação. A produção de fruta pode diminuir algo durante os meses de inverno. Um campo dado de noni normalmente é colhido de 2-3 vezes por mês.





Fonte>

http://www.biomania.com.br/
http://www.abaixoaodesperdicio.com.br
http://cultivandononi.8m.com
http://revistavivasaude.uol.com.br/Edicoes/37/artigo39696-1.asp
Manoel Pinheiro - Farmacêutico


http://belezadacaatinga.blogspot.com.br/2011/12/o-noni-cujo-nome-cientifico-e-morinda.html




sexta-feira, novembro 02, 2012

Paraiso





O paraíso existe somente quando ele é recuperado

O ser humano pode viver de duas maneiras: a natural e a não-natural. A não-natural exerce grande atração, pois é nova, não-familiar e aventureira. Daí, toda criança deve deixar sua natureza e penetrar na não-natureza.

Nenhuma criança pode resistir a esta tentação; resistir a ela é impossível. O paraíso deve ser perdido, e a sua perda está embutida; ela não pode ser evitada, ela é inevitável.

E, é claro, somente o ser humano pode perdê-la. Este é o êxtase e a agonia do ser humano, o seu privilégio, a sua liberdade — e a sua queda.

Jean-Paul Sartre está certo quando diz: "O ser humano está condenado a ser livre". Por que "condenado"? Porque, com a liberdade, surge a escolha — a escolha de ser natural ou não.

Quando não há liberdade, não há escolha. Os animais ainda existem no paraíso; eles nunca o perderam, mas, devido a isso nunca ter acontecido, eles não podem estar conscientes dele e não podem saber onde estão.

Para saber onde se está, primeiro deve-se perder o lugar. É assim que o saber se torna possível — ao se perder.

Conhece-se uma coisa somente quando ela é perdida. Se ela nunca foi perdida, se ela sempre esteve presente, naturalmente ela é tomada como garantida; ela se torna tão óbvia que a pessoa se esquece dela.

As árvores, as montanhas e as estrelas ainda estão no paraíso, mas elas não sabem onde estão; somente o ser humano pode saber. Uma árvore não pode se tornar um Buda — não que haja alguma diferença entre a natureza interior de um Buda e a de uma árvore, mas uma árvore não pode se tornar um Buda. A árvore já é um Buda! Para se tornar um Buda, a árvore primeiro deve perder a sua natureza, deve se afastar dela.

Você pode ver as coisas somente de uma certa perspectiva. Se você estiver muito próximo delas, você não pode vê-las. Aquilo que Buda viu nenhuma árvore jamais viu... está disponível às árvores e aos animais, mas somente Buda fica consciente dele — o paraíso é recuperado.

O paraíso existe somente quando ele é recuperado. As belezas e os mistérios da natureza são revelados somente quando você retorna ao lar. Quando você vai contra sua natureza, quando você se distancia de você mesmo, somente então um dia a jornada de volta principia.

Quando você fica sedento pela natureza, quando você começa a morrer sem ela, você começa a retornar.

Esta é a queda original. A consciência do ser humano é a sua queda original, seu pecado original. Mas sem o pecado original não há possibilidade de um Buda ou de um Cristo.

Osho, em "Vá Com Calma: Discursos Sobre o Zen-Budismo"
Imagem por Jenny Kristina Nilsson


Leia

http://www.palavrasdeosho.com/

Preocupado?






Preocupado? Talvez você possua alto QI e um excelente mecanismo de defesa


Qualquer um que já passou a noite toda acordado preocupado com o trabalhoou com dinheiro pode achar mentira, mas cientistas dizem que a preocupação possui características benéficas.
Os humanos evoluíram a preocupação ao mesmo tempo em que desenvolveram a inteligência – talvez como um mecanismo de defesa em um mundo perigoso, onde os primeiros seres humanos precisavam lutar pela sobrevivência.
“Enquanto a preocupação excessiva é geralmente vista como um traço negativo, a alta inteligência é encarada como algo positivo, mas a preocupação pode causar em nossa espécie situações boas, evitando alguns comportamentos perigosos, independentemente do quão remoto seja a possibilidade de que algo ruim venha acontecer”, disse o Dr. Coplan da SUNY – State University of New York.
“Em essência, a preocupação pode tornar as pessoas mais cautelosas, não arriscando, aumentando a taxa de sobrevivência. Assim como a inteligência, a preocupação pode conferir uma vantagem à espécie”, comentou o pesquisador.
Excesso de inteligente e preocupação exagerada esgota os nutrientes da matéria branca do cérebro – sugerindo que as duas características evoluíram ao mesmo tempo. Preocupação pode ser realmente algo útil que nos ajudou a sobreviver.
Estudos anteriores indicaram que a preocupação excessiva tende a existir tanto em pessoas inteligentes como em pessoas com inteligência inferior. O estudo revelou, curiosamente, que pessoas com inteligência mediana costumam sentir preocupação de modo moderado.

Neste estudo da ansiedade e de inteligência, os pacientes com transtornos de ansiedade foram comparados com voluntários sadios para avaliar o quociente de inteligente (QI). Outros fatores como o metabolismo da substância branca subcortical foi analisado.Foi levantada a hipótese de que as pessoas com menor inteligência sofrem de ansiedade, porque elas alcançam menos sucesso na vida. “Os seres humanos são a espécie mais inteligente e parecem sofrer desproporcionalmente com psicopatologias”, dizem os especialistas.
A correlação entre QI e preocupação foi significativa em ambos os grupos. No entanto, no primeiro caso, a correlação foi positiva e no último, a correlação foi negativa.




http://jornalciencia.com/
http://existenciaconsciente.blogspot.com.br/

segunda-feira, outubro 15, 2012

Compaixão é transformação das energias

 



Nós sabemos o que é paixão; por isso não é muito difícil entender o que a compaixão poderia ser. Paixão significa um estado de febre biológica - ela é quente, você fica quase possuído por energias biológicas inconscientes. Você não é mais senhor de si mesmo, é só um escravo.

Compaixão significa que você transcendeu a biologia, que você transcendeu a fisiologia. Você não é mais um escravo, você se tomou um mestre. Agora você vive conscientemente.

Não é mais dirigido, puxado para lá e para cá por forças inconscíentes; você pode decidir o que quer fazer com as suas energias. Você é totalmente livre. Portanto, a mesma energia que se torna paixão é transformada em compaixão.

Paixão é luxuria, compaixão é amor. Paixão é desejo, compaixão é ausência de desejo. Paixão é ganância, compaixão é compartilhar. A paixão quer usar o outro como um meio, a compaixão respeita o outro como um fim em si mesmo.

A paixão mantém você preso à terra, ao lodo, e você nunca se toma um lótus. A compaixão faz de você um lótus. Você começa a se elevar acima do mundo lodoso dos desejos, da ganância, da raiva. A compaixão é a transformação das suas energias.

Normalmente você vive disperso, fragmentado. Um pouco de energia é absorvida pela sua raiva, outro tanto é absorvido pela sua ganância, outro tanto pela sua luxúria e assim por diante.

E existem tantos desejos à sua volta que você fica sem energia nenhuma; você acaba oco, vazio.

Lembre-se do que disse William Blake - há uma grande sabedoria nisto -; ele disse: "Energia é alegria". Mas não lhe resta nenhuma energia; toda a sua energia vive descendo pelo ralo.

Quando todas essas energias não são mais desperdiçadas elas começam a encher o seu lago interior, o seu ser interior. Você fica repleto. Uma grande alegria brota em você.

Quando começa a transbordar, você se toma um buda e passa a ser uma fonte inesgotável.

Só quando for um buda você provará o que é a compaixão. A compaixão é um amor sereno - não frio, veja bem - sereno. É um compartilhar da sua alegria com toda a existência.

Você passa a ser uma benção para si mesmo e uma bênção para toda a existência. Isso é compaixão. A paixão é uma maldição, a compaixão é uma bênção.

Osho, em "Compaixão: O Florescimento Supremo do Amor"
Imagem por Cayusa


Leia mais: http://www.palavrasdeosho.com/2012/10/compaixao-e-transformacao-das-energias.html/

domingo, setembro 23, 2012

MÉDIUM E MEDIUNIDADE










Os sensitivos não deveriam ser chamados de médiuns. O vocábulo sensitivo apresenta-se como um sinônimo de médium, mas não se refere propriamente a um intercâmbio entre os dois mundos, representando apenas uma faculdade em anda-mento para a verdadeira comunicação com os espíritos.

Mediunidade é um estado natural da criatura, um dom, um fruto maduro. O sensitivo é um fruto verde a caminho da maturidade. Este é encontrado com mais facilidade, por não precisar de certas disciplinas e não aceitar as renúncias indispensáveis à glória da faculdade mediúnica, com Jesus.

O sensitivo recebe as sensações através do corpo etérico, que se manifesta em todo o sistema nervoso. Isto faz com que os sentidos humanos sejam ampliados, de maneira a permitir a percepção de certas coisas, chegando a sentir que existem espíritos aqui ou acolá. Essa certeza se origina da alta sensibilidade de que é dotado pela energia cósmica. Muitos e muitos dos chamados médiuns estão nesse estagio, que não deixa de ser um caminho para o empenho grandioso da mediunidade evangélica. É fácil reconhecê-los, pelas fracas interpretações das leis naturais e o pouco interesse pelo bem coletivo. Notam-se, nas comunicações, inclinações para a leviandade, respondendo a perguntas que não levam ao interesse elevado da vida, incentivando vícios e compactuando com difíceis processos primitivos que visam a assegurar o bem estar material das criaturas. Esquece-se completamente do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, colocando a caridade sob uma visão muito pessoal.

Essa é a razão por que muitos estudiosos do espiritualismo combatem a mediunidade, generalizando os fenômenos, sem estudarem com profundidade o despertar da alma, no intercâmbio com os espíritos desencarnados

Mediunidade é um estado natural do ser humano, é maturidade, e junto a ela há sempre um compromisso firmado no mundo espiritual com os luminares da eternidade, e com a própria consciência. O espírito reencarna já preparado para esse ministério, conhecendo os caminhos pelos quais deverá transitar, e os processos que o levarão ao dever bem cumprido. Existem animais sensitivos, mas nunca animais médiuns. Através desta analogia, podereis melhor compreender nossas afirmativas.

Todo o combate à mediunidade real se faz por faltarem recursos de análise e compreensão do fato mediúnico. Estudar um sensitivo é uma coisa, e estudar um médium é outra, diferente. Quanto ao primeiro, é fácil detectar a fonte que o inspira por estar próxima das coisas humanas.  O segundo, porém, recebe influências que escapam aos sentidos físicos, por alcançarem outra dimensão de maiores valores espirituais. Quase que somente o médium é quem conhece o que é mediunidade e, mesmo com todo o recurso da palavra que ele possa dominar, ainda assim não expressa a realidade dessa faculdade transcendental.

Sensitivos, pelo que entendemos na acepção da palavra, há milhões deles, por toda a parte, anunciando, pelo que fazem, mesmo de maneira primitiva, que existe a comunicação com os espíritos e que a vida eterna é, pois, a alegria de todos nós.

No assunto que ora abordamos, vemos que todo médium é sensitivo, mas nem sempre os sensitivos são médiuns. Temos exemplos de decadência de muitos medianeiros, que começaram bem, e terminaram a existência no fracasso, com sua mediunidade. Não é fácil, como alguns pensam, manter essa faculdade espiritual no nível que é assumida, quando se desce a tomar um corpo físico.

 A mediunidade que tem compromissos com o Cristo na Terra, não pode se esquecer de subir o calvário, com a cruz nos ombros representando sacrifícios de várias espécies: a renúncia é a característica de seus passos; o perdão, uma norma diária em sua vida; o trabalho. Uma obrigação sem queixa. A oração, um dever silencioso. A alegria, uma manifestação de gratidão por tudo o que vê e recebe da vida. A língua deixa de ferir e a cabeça passa a ser um ninho de pensamentos nobres.. Tudo o que faz, ela o faz por amor. O médium deve esforçar-se para ser um exemplo vivo de paz e de esperança. Não estamos aqui desmerecendo os sensitivos, mas é justo que eles reconheçam a posição em que se encontram. Não podemos fugir nunca às normas da boa conduta, porque atraímos o que somos na pauta da vida e o que vibramos por dentro, manifestamos por fora. Nós mesmos usamos a palavra sensitivo como médium, como recurso de linguagem comum na literatura espiritualista. No entanto, na profundidade do assunto, o sensitivo é um futuro médium, com a capacidade que a sua evolução determinar.

O carvão é uma promessa do diamante, como o homem o é do anjo. Não estamos diminuindo quem quer que seja perante seus afazeres na face da Terra, mas apenas esclarecendo dúvidas e mostrando dimensões que devemos conhecer, para que possamos desempenhar as nossas atividades com a consciência tranqüila e o coração pulsando com a ordem do universo.

A doutrina espírita é um acervo de conhecimentos que nos ajuda a conhecer a verdade, e o espírita não pode esquecer o saber, porque o próprio amor depende muito da sabedoria, para brilhar como um sol dentro do coração.

Ninguém faz médiuns, a não ser Deus, no transcorrer do tempo. Entretanto, a misericórdia do Senhor foi tanta, que nos ofereceu escolas e mestres renomados, a nos mostrarem os caminhos da auto educação e da disciplina, no sentido de despertar a luz que já existia dentro da criatura. Forçar a mediunidade é ignorar leis que regulam a vida: a naturalidade é a fisionomia dos anjos, nas mínimas coisas da existência. Estamos entrando em uma época apocalíptica, onde há muita coisa boa e muita coisa ruim: escolhemos o que achamos melhor. O mundo está passando por transes difíceis, porque dificultamos as coisas fáceis. Procura viver na simplicidade, em tudo o que fazes, que entrarás na atmosfera do bem e ele te traçará os caminhos que te levarão ao amor.

Médium! Se exercitas tuas mediunidades, lembra-te da tua parte, porque quem não conhece os caminhos por onde passa, poderá errar a estrada e, com maiores dificuldades, tentará chegar ao seu destino.

Devem brilhar na nossa mente e no nosso coração estas palavras da codificação do espiritismo: amar e instruir.

SEGURANÇA MEDIÚNICA – MIRAMEZ – JOÃO NUNES MAIA
http://estudoespiritasalvador.blogspot.com.br/2011/03/medium-e-mediunidade.html

sexta-feira, agosto 31, 2012

O MERGULHO EM SI MESMO











Para alcançar uma esfera mais alta de consciência, precisamos mergulhar profundamente em nosso interior e renascer libertos dos medos, dúvidas, vícios e conflitos.

Meus amigos, não esperem a morte chegar para desenfaixá-los da carne.
Comecem imediatamente um processo interno de profunda renovação consciencial.
Morrer não significa crescer! Viver é crescer.
A morte apenas faz o espírito mudar de endereço vibracional.
A pessoa é a mesma, com suas virtudes e defeitos, seja dentro ou fora do corpo, em qualquer dimensão.

Não tenham medo de mergulhar em si mesmos e escalpelar o próprio ego. Rasguem a pele do medo, nas trilhas do discernimento! Contudo, não se enganem. Há dor nesse processo.
Não é fácil, mas é factível a quem quer crescer municiado de plena luz interior.
O mergulho em si mesmo é uma espécie de morte: a morte do ser velho e seu renascimento constante.

Se vocês padecem do medo da dor de crescer e olhar objetivamente a si mesmos, então pensem nas dores que já lhes acompanham tão frequentemente: violência íntima,
medo, vazio existencial, falta de motivação, falta de espiritualidade e uma terrível treva espiritual, envolvendo suas melhores aspirações.
Façam uma medição na balança de seus corações e observem o que dói mais: crescer ou ser súdito da agonia do vazio consciencial? O que dói mais:
Ser medíocre e desconhecido de si mesmo ou lutar para evoluir e seguir?
O que dá mais trabalho:
Manter vícios que custam tanto ou lutar para vencê-los?
Quais são seus objetivos vitais:
Agonia íntima ou crescimento consciencial?

Vocês esperarão a morte sendo súditos da inércia?
Ou aumentarão a motivação de viver e aprender?

Quando esse ser velho e medroso será cremado no fogo do discernimento?
Quando será o funeral de suas dores íntimas?
Quando a fagulha divina que já mora em seus corações há de brilhar mais?

Renasçam a cada instante!
Presenteiem suas vidas com uma nova luz nos pensamentos e sentimentos.
Promovam aquela alquimia íntima: ser antigo, fora! Ser renovado, agora!
Quem poderá crescer por vocês?
Quem irá pôr fim à dor de vocês?
Que salvador poderá evoluir por vocês?
Quem poderá digerir essas toneladas de mágoas?
Quem promoverá o apocalipse do ego dentro do calendário da própria alma?
Quem liquidará o asteróide do medo no planeta de seus corações?

Mergulhando em si mesmos, sem medo, sem trevas, vocês encontrarão dores, sim. Mas qual renascimento é isento de dor?
Pior já é a dor de sentir-se um estranho no próprio mundo íntimo.
Usem a água da espiritualidade e o remédio da sabedoria para lavar os sofrimentos e curar as feridas internas. Usem o antiácido da alegria e curem as úlceras emocionais. Agradeçam as dores do parto de um ser divino dentro de vocês. É a dor de um mestre nascendo!

Há um menino Jesus, um menino Krishna e a paz do Buda nascendo no menino-coração de cada um de vocês.
Confraternizem mais, sorriam sem medo!
Ninguém morre vítima da morte, que apenas devolve a consciência à sua casa celestial.
Mas é possível morrer em vida, de agonia e falta de lucidez .
É possível ser um cadáver vivo: basta sentir-se vazio, sem alma, murcho de alegrias e renovações.

Meus amigos, cremem o ego e renasçam das cinzas.
Façam uma fogueira de seus medos.
Depois, joguem as cinzas ao vento da vida e gritem bem alto:
"Meus medos já eram!
Só tem luz em meu coração!
Sou divino e há um sol interno despertando na aurora de minha vida!"
Não esperem a morte para morrer só de corpo.
Aliem-se à vida para que morram seus dramas e seus egos.
Que esses escritos possam matar suas dores de vazio espiritual, e que possam enchê-los de vida, de luz e de um grande amor.
Que Deus abençoe seus renascimentos!"

Wagner Borges
Fonte texto e Imagens:
http://pychulin.blogspot.com.br/
*Recomendo



 

segunda-feira, agosto 20, 2012

Meu universo é diferente do seu?



Já vimos aqui no blog que o universo é um holograma e é criado por nós mesmos, é uma manifestação de nossa consciência. Se é assim, podemos refletir e levantar a seguinte hipótese: Se a realidade é criação da minha mente, posso criar/viver uma realidade diferente das outras pessoas? Parece loucura, mas seguindo a premissa inicial é bastante lógico pensar assim, você não acha?
Esse post irá tentar desenrolar esse nó e mostrar que é perfeitamente possível que o meu universo seja diferente do seu assim como o seu pode ser diferente do universo do seu vizinho.

É tudo uma questão de vibração





Esse post irá tentar desenrolar esse nó e mostrar que é perfeitamente possível que o meu universo seja diferente do seu assim como o seu pode ser diferente do universo do seu vizinho.

É tudo uma questão de vibração

Se fosse possivel (na verdade eu acredito que seja) para nós vislumbrar o universo fora da masmorra de nossos 5 sentidos físicos, veríamos que a realidade é uma verdadeira sinfonia vibratória onde todos os planos existenciais e realidades convivem juntos harmoniosamente, interpenetrando-se mutuamente sem, contudo, interferir um no outro. Veríamos que nosso universo físico é aquele cuja oitava de vibração é a mais baixa e lenta dentre os diversos espectros de realidade existente.
Para tentar entender como isso funciona, vamos fazer uma anologia entre as diversas realidades e a tecnologia de comunicação que nós possuimos. Nossa infra-estrutura de comunicação, engloba diversos tipos de dispositivos tais como celulares, televisores, radio e internet. Todos esses dispositivos são emissores/receptores de sinal cujo meio de transmissão é o ar. Cada um opera em uma freqüência de onda diferente. O celular tem seu próprio intervalo de freqüências que é dividido entre as diversas operadoras, assim como a televisão e o rádio tem os seus intervalos respectivamente. Todos os sinais estão compartilhando o mesmo meio que é o ar, entretanto, você nunca vai conseguir captar uma conversa de celular no seu rádio e muito menos vai conseguir sintonizar uma estação de rádio através de sua TV. Deu pra visualizar como a coisa funciona?

Nos encontramos quando sintonizamos nossas consciências

Trazendo agora a analogia para nosso assunto, nossa consciência é como um emissor de sinal, como uma emissora de televisão, cujo "canal" é a realidade. Nosso cérebro é como um decodificador de sinal que sintoniza no canal da nossa consciência e transmite na tela de nossos sentidos o universo físico correspondente. Sendo assim, o "canal que estou assistindo" não necessariamente será o mesmo que você. Então você me perguntaria: "Você está louco?! Se não estamos sintonizados no mesmo canal, como é que estou lendo o seu post??". Explico: Para que possamos interagir com outras consciências, necessitamos nos sintonizar na mesma freqüência, compartilhar o mesmo espectro vibratório. É por isso que você está aqui lendo esse post e o seu vizinho sequer sabe da existência dele. Por que seu vizinho, está sintonizado em outra faixa, não está interessado nos mesmos assuntos que você, prefere assistir ao canal de futebol, percebe?
Quando criei este blog, divulguei-o entre meus familiares e conhecidos, sabe o que aconteceu? Só obtive feedback de duas pessoas, uma disse que não entendeu nada e a outra perguntou o que eu andava fumando!!! Ou seja, apesar de eu ter forçado a barra para eles conseguirem sintonizar-se comigo a ponto de perceber a existência do blog, suas consciências não foram capazes de sintonizar-se com as idéias colocadas aqui.

Somos seres multidimencionais

A maioria das pessoas percebem-se a si mesmo como sendo o corpo físico que elas controlam. Se você fizer a pergunta "Quem é você?" a elas, imediatamente visualizarão seus corpos como sendo sua identidade. Na verdade, o corpo fisico é apenas o veículo de manifestação nessa oitava de freqüência conhecida como universo físico. Nossa consciência é constituída de várias camadas, cada uma delas corresponde a um veículo de manisfestação dimencional, sendo o corpo físico a camada mais externa. Assim, podemos imaginar o todo de nossas consciências como sendo camadas concêntricas em cujo centro está aquela essência divina que todos possuimos.
Podemos imaginar também a realidade de cada um de nós como a "área de cobertura" de nossa "antena consciencial". Quando interagimos uns com os outros, interagimos na intersecção entre nossas "transmissões", percebe? É nessa intersecção que está o universo "compartilhado" que experimentamos.

A expansão da consciência diminui a intersecção

Quando expandimos nossa consciência, aumentamos nossa "área de cobertura" e passamos a ter vislumbres das oitavas acima da física. Nessa categoria estão os videntes, paranormais e também os despertos como eu e você. Para nós isso é uma coisa boa, mas como conseqüência também experimentamos um certo isolamento, já percebeste? Isso acontece porque a expansão da consciência aumenta o "raio da circunferência" de nossa realidade afastando cada vez mais o centro de nossa consciência do centro das consciências "adormecidas". Assim, o universo que manifestamos fica cada vez mais distante do universo compartilhado, de consenso. Quer um exemplo?
Você já passou pela situação onde cruzou com um conhecido na rua ou esteve com ele no mesmo ambiente, prédio, shopping ou restaurante e sequer um notou a presença do outro? De repente vocês conversam e descobrem que estiveram no mesmo lugar e um diz pro outro, "Mas fulano, você estava lá e eu nem te vi?!". Ou, no caso oposto, você pensa numa pessoa e logo em seguida ou pouco tempo depois ela liga pra você! "Vixe fulano, você não morre hoje, estava falando (ou pensando) em você."
Já ouvi um caso onde uma pessoa andava por uma rua e cruzou com uns sujeitos perigosos. A pessoa estava bem vestida, celularzão no bolso, relógio bonito e os sujeitos sequer notaram sua presença. Um pouco mais na frente, a pessoa viu vindo do mesmo local um jovem só de cueca. Os sujeitos tinham-lhe roubado tudo. Porque aconteceu assim? Esse tipo de coisa vive acontecendo. Na verdade a pessoa que mencionei estava vivendo num universo cuja intersecção com os sujeitos era quase nula, digo quase porque ela pode percebê-los, mas eles, de alguma forma, não a viram, mas viram o pobre rapaz que vinha logo atrás.

2012, apocalipse e arrebatamento

Agora chegamos onde eu queria chegar. Todos andam falando sobre 2012, fim do mundo, apocalipse e etc. Alguns dizem que nesse ano passaremos por maus bocados, outros que experimentaremos um salto quântico e adentraremos na 5ª dimensão. E aí, quem está certo? Os dois!! Ambos os futuros irão acontecer. Para os que estão sintonizados na freqüência do medo, do controle, acontecerá exatamente aquilo retratado nos filmes catástrofe de Roland Emmerich. Já os que estão libertos do medo e que estão buscando aquela expansão consciencial, esses irão experimentar o tal salto quântico e irão para a 5ª dimensão. Será como aquilo que os evangélicos chamam de arrebatamento, onde algumas pessoas irão desaparecer de repente, sem explicação. Na verdade o que acontecerá, e que já está acontecendo, é que a intersecção entre esses dois grupos de consciências irá diminuir tanto que chegará a um ponto de ruptura onde o universo compartilhado por ambos os grupos será totalmente diferente. Um grupo irá acompanhar a freqüência de Gaia, a terra e experimentará a ascensão. O outro irá permanecer no universo físico, de terceira dimensão, e enfrentará o apocalipse que vem atraindo para si a milênios.

Espero que o texto não tenha sido difícil para você digerir.

Um abraço, rumo a ascensão.


http://aquelequebuscaverdade.blogspot.com.br/

Reflexão

Estou aprendendo que a maioria das pessoas não gostam de ver um sorriso nos lábios do próximo.Não suportam saber que outros são felizes... E eles não! (Mary Cely)