Herbário Póetico

Espaço destinado a divulgaçao de: Receitas, Crenças. Misticismo Chás, Ervas&Aromas. Medicina Convencional Fitoterápico e Alternativo! Tudo que se relaciona com coisas naturais! Sem fins lucrativos. Nosso prazer e ver você informado. Agradecemos sua visita! Volte Sempre!

Inteligentes &Perpicazes

Total de visualizações de página

domingo, janeiro 31, 2010

Pixuri




Usos: Usado nas paralisias e derrames. É utilizado externamente em picadas de insetos e como repelente.


http://flora-nativa.com/
Imagem do google

Cumaru (Dipteryx odorata)





Dipteryx odorata: cumaru-verdadeiro, amburana, cumaru, fava-tonca-da-amazônia, imburana-de-cheiro, cumarurana, cumaru-amarelo, cumaru-de-folha-grande, muimapagé, champagne, cumaru-do-amazonas, cumaruzeiro, camuru-de-cheiro.

É nativo da região amazônica desde o Estado do Acre até o Maranhão.

Usos: Suas sementes são usadas como aromatizante de medicamentos, fumo para cachimbo e confeitaria.
Na medicina popular é utilizado como um bom remédio contra cólicas instestinais, bem como no tratamento de úlceras da boca, porém em desuso pela indústria farmacéutica.

Fonte de Pesquisas
http://flora-nativa.com/
Imagem do Google

sexta-feira, janeiro 29, 2010

KARKADEH - O CHÁ EGÍPCIO






Karkadeh é o mais tradicional chá egípcio preparado com a flor de hibíscus.

Pode parecer brincadeira, mas sob aquele calor intenso praticamente o ano inteiro, os egípcios tomam chá, principalmente chá preto, hortelã, alcaçuz e claro, karkadeh. É comum ver vendedores ambulantes pelas ruas do Cairo vendendo em tinas de vidro, os chás em copos de vidro. A aparência para um ocidental não é nada saudável pois a higiene é sempre duvidosa quando não inexistente.

Um detalhe interessante sobre o karkadeh é que ele é um chá que inicia uma negociação na hora da barganha. Quando não se chega a um consenso sobre o preço de uma mercadoria, pede-se "at karkadeh" (traga karkadeh); é sinal que o papo vai longe e que a negociação vai sair. Egípcios adoram barganha. Eles crescem com isso desde a tenra idade. Algo que pedem 100, pode chegar a 10 ou 15 se tiver a paciência de tomar muito karkadeh.

Servido quente ou frio é extremamente saboroso. Tem gosto herbáceo. É exótico. Azedinho no começo e doce no final. Alguns egípcios exageram na quantidade de karkadeh na hora de seu preparo e o chá fica parecendo uma tinta vermelha, de tão forte.

Pode ser servido quente ou frio. Ambos são ótimos. Experimente quando puder.


O chá de flor de hibíscus é utilizado como base para diversos chás de frutas vermelhas: morango, framboesa, cereja, amoras. Ele ajuda a conferir sabor e a cor original da fruta. Acaba sendo misturado com a polpa destas frutas e torna-se um "blend" (mistura).

Fonte de Pesquisas
http://www.khanelkhalili.com.br/

terça-feira, janeiro 26, 2010

Afrodisíacos .



Guaraná: a semente atua no sistema nervoso central aumentando a energia. É planta brasileira com grande tradição afrodisíaca.

Lírio: ao ser queimada em casa, desprende um perfume que levaria a níveis elevados de prazer sexual.

Muriacitina: extraída de uma raiz existente nas florestas tropicais do Brasil.

Narciso: aumentaria a secreção do esperma. É usado como loção para enrijecimento dos seios.

Tomilho: erva da qual é obtido um tônico para efeito afrodisíaco. As primeiras referências ao tomilho como afrodisíaco datam do século IV a.C.

Urtiga: é o símbolo da luxúria. Segundo a tradição, esta planta concederia ao usuário valentia e audácia.

Verbena: planta sagrada da antiga Bretanha, onde era usada em sacrifícios rituais, maldições de bruxaria e diversas formas de encantamento amoroso.

www.museudosexo.com.br
Imagem e Texto do google

Afrodisíacos .Catuaba


AFRODISÍACOS - PLANTAS E ERVAS

Catuaba: planta brasileira, é um dos mais famosos afrodisíacos nativos. Os índios Tupis deram a ela o nome akatu’ab, que significa “capaz”. É consumida em bebidas alcoólicas, xaropes, pó e em pílulas. Pesquisas revelaram que há estimulação sexual em cobaias.

Imagem do google

Tipos de Afrodísíaco.

A procura por produtos que estimulam o prazer pode ser observada ao longo da história da humanidade, principalmente nos livros eróticos orientais – manuais chineses, hindus e árabes. Já os Romanos, no tempo do Império, acreditavam que saborear testículos de cavalo era garantia para um bom desempenho sexual. Os chineses, por sua vez, incluíam insetos em seu cardápio, pois acreditavam que serviam para aumentar o desejo sexual. O imperador asteca Monctezuma tomava uma taça de chocolate antes de um relacionamento sexual, costume adotado posteriormente por Casanova (que consumia também 50 ostras por dia) e pelo marquês de Sade.

A suposta eficácia dos elementos considerados afrodisíacos era atribuída à aparência entre alguns deles (raízes, legumes, partes de animais) e os órgãos sexuais ou sua ação como estimulante do sistema nervoso. O mito do nascimento de Afrodite também contribui para associar os afrodisíacos a alimentos provenientes do mar. Alguns afrodisíacos, como as bananas, os aspargos, os figos, os pêssegos e as cenouras, têm formato semelhante aos órgãos sexuais. Consomem-se também partes de animais tidas como potentes afrodisíacos, muitos considerados fálicos, como chifres de animais machos (na Europa), bicos de pássaros chifre de rinoceronte branco (sudeste Asiático e China) e testículos de animais.



Chifres de rinoceronte escavados na China. Seu pó era considerado potente afrodisíaco.

Os afrodisíacos são encontrados na forma de bebidas, alimentos, odores, ervas, produtos químicos e outras substâncias que aumentam a libido. O ambiente acolhedor e sensual, os rituais de conquista, a combinação de cores e música, o comportamento, os objetos de vestuário e adornos contribuem para a criação do clima erótico.

Na forma de alimento, os pratos afrodisíacos existem na culinária da maioria dos povos e ganham popularidade em datas especiais, como é o caso do dia dos namorados. Há aqueles considerados exóticos em algumas culturas, como os testículos de macaco na Ásia, de touro na América, de cordeiro e bode em outros lugares do mundo.

No Brasil, a Bahia se destaca por conferir a muitos alimentos uma finalidade afrodisíaca, reforçando a quantidade de gordura e pimenta nos pratos típicos. Na região Norte há pratos cujos ingredientes principais são raízes, folhas e frutos que, de acordo com a tradição indígena, estimulam o apetite sexual.

Há substâncias, no entanto, que são consideradas afrodisíacas mais por estarem relacionadas a sensações agradáveis ao paladar e ao olfato do que pela possibilidade de agirem diretamente no desempenho sexual, como é o caso do morango e dos doces.





ANAFRODISÍACOS


As substâncias que inibem o excesso de desejo sexual são conhecidas como anafrodisíacos. A maioria provém de plantas, como a manjerona e o lúpulo, este que além de anafrodisíaco, teria a propriedade de curar a espermatorréia. Por muito tempo acreditou-se que o salitre teria propriedades para inibir o desejo sexual. Drogas como a cocaína, a maconha e o álcool também podem ter efeitos anafrodisíacos.

FEROMÔNIOS

São considerados os afrodisíacos naturais exalados no ambiente pelo ser humano ou animais, provocando desejo sexual àqueles da mesma espécie. Os feromônios estabelecem uma comunicação química entre as secreções e odores dos corpos. Embora seu cheiro não seja perceptível, estudos comprovam que exercem um grande poder de atração.

Os odores do homem e da mulher provêm das seguintes estruturas:
-Homem: fluídos da próstata, das glândulas de Cowper e do hormônio testosterona;
-Mulher: fluídos das glândulas vulvovaginais, das para-uretrais, do colo do útero e de secreções da vulva. O estrógeno torna atraente o odor e a textura da pele da mulher.

segunda-feira, janeiro 25, 2010

Afrodisíacos .Origem



Derivado do grego aphrodisiakós, o termo “afrodisíaco” data de aproximadamente 5.000 anos e provém do nome Afrodite – a deusa do amor e da beleza na mitologia grega – também conhecida por Vênus, (em latim) filha de Zeus e Dione. De acordo com o mito, Afrodite nasceu na concha de uma ostra quando Cronos matou e castrou seu pai, jogando os testículos no oceano.


Vênus, 1485. Sandro Botticelli. Galeria de Uffizi, Florença.
Eram conhecidos na Antigüidade, nas culturas egípcia, grega e romana. As referências revelam que o mais antigo afrodisíaco era um pó de pênis de crocodilo seco, recomendado pelos egípcios.



Os afrodisíacos são drogas, substâncias químicas ou odores aos quais é atribuída a ação de aumentar o desejo e manter a excitação sexual em homens e mulheres. Não há fundamentação científica quanto à eficácia da maioria das substâncias afrodisíacas na resposta sexual adequada dos indivíduos. O que se conhece até o momento é que algumas substâncias agem sobre os sistemas nervoso central e circulatório e que podem resultar, como efeito secundário, na melhoria do desempenho sexual. Há substâncias, porém, que causam efeitos danosos ao organismo como a cantárida ou "mosca espanhola", um besouro do qual se faz um pó, que provoca irritação urogenital associada a maior afluxo de sangue no pênis, levando o usuário a ter sensação de maior tempo de ereção .

Fonte de pesquisas e Imagens
http://weblogs.escrever.org/

sábado, janeiro 23, 2010

Uxi Amarelo


Uxi Amarelo


O Uxi (Endopleura uchi) é uma árvore alta da família das humiriáceas, nativa da Amazônia, de tronco reto e liso, casca cinzenta, madeira de boa qualidade, folhas denteadas e drupas comestíveis, com sementes oleaginosas. Também chamada de uxipuçu, encontrada em estado silvestre da mata primária de terra firme dispersa por todo Pará e Amazonas, árvore que alguns brasileiros consideram quase milagrosa no tratamento de miomas.
A casca do Uxi-amarelo é utilizada no tratamento de miomas, ovário policístico, infecções urinárias; utilizado na forma de chá, que após a fervura é tomado diariamente no lugar da água. Em casos específicos de tratamento para mioma ele tem se mostrado extremamente eficaz.



fonte de pesquisas
www.cemporcentonatural.com
Imagem do google

quinta-feira, janeiro 21, 2010

Sene


(Senna Occidentalis) :::

Senna Occidentalis: café-de-negro, fedegosa, mamangaba, café-de-gozo, café negro, erva-fedorenta, ibixuma, fedegoso-verdadeiro, folha-de-pajé, lava-pratos, mangirioba, maioba, mamangá, mata-pasto, sene, pajamarioba, peireiaba, taracucu, tararaçu.

É nativa da América tropical. Ocorre principalmente no Nordeste uma espécie semelhante senna uniflora.

Usos: Possui forte ação diurética e atividade febre-fuga, é utilizada no tratamento auxiliar das afecções do fígado e da anemia. Suas folhas são purgativas, ajudam a apressar a cicatrização de feridas, possui atividade antimicrobiana, o que justifica o seu tratamento local das afecções da pele, como pano-branco e impingem.
Sene (Senna Occidentalis) :::

http://flora-nativa.com/
Imagem do Google

MUIRAPUAMA


Muirapuama (Ptychopetalum olacoides) :::

Ptychopetalum olacoides: marapuama, marapuama, muirapuama, marapama.

Uso: todas as suas partes são utilizadas com fins medicinais, mas suas cascas e raízes são as principais partes utilizadas nos dias de hoje.
É usada externamente para o tratamento da paralisia e do beri-beri.
Possui também efeito tônico sobre o sistema nervoso, seu poder antireumático e para solução de desordens gastrointestinais.
Internamente é usada na forma de chá para tratamento de impotência sexual, para problemas neuromusculares, gripe, reumatismo, astenia e gastrointestinal


http://flora-nativa.com/produtos/
Imagem do Google

segunda-feira, janeiro 18, 2010

Ervas de Iemanjá






Salve sagrado lei tor do JUS, sal ve sagrado Um ban dista! É com muita alegria que podemos che gar nessa edição, junto aos cem anos da Umbanda. E não dá pra ervas ficarem de fora, não é?

Afinal, na celebre sessão onde o Sr. Caboclo das 7 Encruzilhadas se ma nifestou no seu médium Zélio de Mo­raes, antes da manifestação, conta a história que o jovem Zélio, incomo dado que estava sentado àquela mesa, levantou-se e disse: Falta alguma coisa aqui. Uma flor! Ele foi até o jardim e voltou com uma flor (rosa) branca e disse: Agora sim!

Me permito a imprecisão dessa história, pois o objetivo aqui não é contá-la apenas, mas lembrar que as ervas – no caso uma flor – estavam pre sentes nessa manifestação.

E podem ter certeza que essa flor cumpriu seu papel, imantando os pre sentes de vibrações sutis, mas impor­tantíssimas ao campo energético ne cessário para a sessão.

Nós poderíamos dizer que esse foi o primeiro elemento natural usado na Umbanda, uma flor!

E dificilmente vemos abrir uma gira, tanto no terreiro como na natureza, sem que haja a presença de uma flor sequer.

No próximo mês de dezembro, muito de nós irão à praia homenagear Mamãe Iemanjá, e levaremos muitas flores para Ela.

No caso das rosas, procurem tirar seus espinhos para que não machu quem ninguém na praia, e também não precisam deixar seu caule (cabo) tão longo, ok.

Enfeitem seus terreiro com muitas flores, de todos os tipos. Tomem banho com as ervas de Iemanjá, para que sua vibração se imante em seus es píritos, assim com certeza, estará mais próximo do magnetismo de Nossa Amada Mãe das Águas.

Consagrem seus banhos na força de Mamãe Iemanjá, consagrem sua flores. Façam suas oferendas com amor e simplicidade, pode ter certeza que não é a quantidade que importa. Nossos Papais e Mamães Orixás se interessam por aquilo que trazemos em nós, de boa vontade, propósito, gratidão, capacidade de perdoar e muitos outros sentimentos dos quais somos aprendizes.

Vamos às ervas de Mamãe Iemanjá:

Orixá: Iemanjá

Elemento: Água

Sentido Divino: Geracionista

Pólo magnético: Positivo / Feminino

Fatores principais: Gerador, amparador da vida

Atribuição: Irradiar a todos os seres o sentido da vida

Ervas Quentes: Erva de bicho, buchinha do norte, alho,

Verbos atuantes nas ervas quentes: Invadir, transbordar, corroer, derramar, …

Ervas Mornas: Alfazema, Anis Estrelado, Rosa Branca, Camomila Flor, Man jericão, Erva de Sta Maria – Men truz, Hibisco Flor, Manjerona, Mulungu Casca / Raiz, Noz Mos cada, Margarida, Sensitiva, Arroz..

Verbos atuantes nas ervas mornas: Gerar, fluir, sustentar, avolumar, …

As definições de ervas quentes, mornas e frias tem origem em nosso trabalho e estão disponíveis em outras matérias do JUS. Vale lembrar que as definições de Orixás, Tronos, fatores, verbos atuantes, enfim, a Teogonia usada para esse trabalho, tem origem no fantástico trabalho de Pai Benedito de Aruanda, entre outros mestres do astral, que através da psicografia de Rubens Saraceni – que sem dúvida nenhuma é o grande percussor e incentivador do nosso trabalho e de muito outros irmãos – pôde nos abençoar com esse conhecimento, e servir de base para tudo isso.

Adriano Camargo – Erveiro da Jurema – www.ventosdearuanda.com.br

sábado, janeiro 16, 2010

A malva




A malva é usada principalmente em afecções de garganta e ouvido, apesar de também auxiliar a hortelã pimenta na sinusite. É anti-inflamatória para a garganta, expectorante e diurética. Também é óptima para inflamações de pele devido a picada de insectos.

É excelente para recompor a mulher após o parto.

É boa para prisão de ventre e colite.

Mas, a especialidade da malva é realmente garganta, ouvidos e cordas vocais. Pessoas que têm como profissão a fala, lucram em usá-la.



Também ajuda os contidos a se expressar melhor e com menos timidez.

– O chá concentrado de malva pode ser usado em gargarejos para quem tem faringite ou amigdalite, ou mesmo precisa falar muito.

– Compressas do mesmo chá podem ser feitas nos olhos, para aliviar dores de cabeça ou processos inflamatórios no rosto.


Imagens do google
Pesquisas de internet

terça-feira, janeiro 12, 2010

Óleos Aromaterapia


Gerânio

É possível que alguns óleos que estimulam no inconsciente uma sensação de sensualidade podem ter este efeito associado a estímulos hormonais destas glândulas. Óleos como a canela e o cravo, que sempre foram tidos como afrodisíacos, agem na verdade como estimulantes da circulação e aquecedores. Esta sensação pode favorecer, aumentando o apetite sexual dos parceiros e a excitação, mas ainda não é o fator principal de estímulo, pois sem desejo (atração) a canela ou o cravo de nada adiantam. O princípio ativo na canela que age como estimulante é o aldeído cinâmico.

Certos óleos essenciais que trabalham a autoestima e a vaidade das pessoas, acabam agindo indiretamente como afrodisíacos. No passado, as grandes rainhas, a exemplo de Cleópatra, utilizavam largamente os aromas para manterem sua beleza e sentirem-se mais sensuais. Os óleos possuem propriedades úteis dentro da cosmética contra o acne, pele envelhecida e na diminuição de rugas, o que explica este seu efeito sobre a beleza pessoal. Se nos sentimos internamente satisfeitos com nossa aparência, este estado se refletirá externamente em nossa vida e com toda certeza interferirá sobre nossa parte sexual-afetiva. Óleos como a rosa, ylang ylang (flores na foto ao lado), sândalo e gerânio são bons neste caso.

Assim, podemos ver que os óleos essenciais agem como afrodisíacos de maneira indireta, atuando tanto quimicamente no organismo, quanto em nível psicológico sobre as pessoas. Suas diferentes formas de utilização neste sentido vão desde a inalação, a banhos e a massagem, sendo também úteis na forma de perfumes ou quando empregada a planta, na forma de chá.

Os seguintes óleos essenciais relacionados abaixo são alguns dos mais indicados como afrodisíacos:

Para a mulher: Rosa, Gerânio, Ylang-ylang, Jasmins, Pau rosa, Cravo da Índia, Casca e Folha de Canela, Néroli, Íris (Orquídea), Folha de Mandarina, Gerânio.

Para o homem: Noz-moscada, Pachouli, Casca e Folha de Canela, Cravo da índia, Jasmins, Vetiver, Cedro, Cominho, Aipo, Mace, Baunilha, Gengibre, Benjoim do Sião, Chocolate (Cacau) e Sândalo, Tabaco.

Alguns exemplos da ação dos óleos sobre a psiquê:


Sândalo - Bom para homens usarem pois transmite à mulher uma sensação de segurança, de capacidade e auto-domínio, características admiradas pelas mulheres num homem;
Ylang Ylang - Bom para mulheres, traz uma sensação de sensualidade, de feminilidade e envolvimento, auxilia na entrega ao parceiro;
Benjoim do Sião - Relaxante e facilitador do relacionamento, quando sob tensão.
Jasmim - Bom para mulheres, sensação de sensualidade, estimula o lado feminino da mulher, é um aroma envolvente;
Aipo, Cominho, Tabaco - Bom para homens, usados como nota de fundo em perfumes, podem ser estimulantes sexuais, mas puros tornam-se desagradáveis e excessivamente fortes, estimulam a masculinidade;
Rosa e Gerânio - Bom para mulheres, dá a sensação de uma mulher decidida, que sabe o que quer, são suavemente quentes e estimulantes;
Vetiver, Pachouli - Bom para homens, aromas fortes, inspiram capacidade e segurança.

* Fábián László é Professor de Terapia com Óleos Essenciais, Reiki e Photocromaterapia no SENAC e SESC de Belo Horizonte (MG).

Fonte: www.aromalandia.org

segunda-feira, janeiro 11, 2010

Guaçatonga (Casearia sylvestris)


Utilizada pelos índios há muitos anos, a planta conhecida como guaçatonga ou erva de bugre (Casearia sylvestris) agora está ganhando a merecida fama nos meios científicos: está sendo utilizada como princípio ativo na produção de cremes fitoterápicos e homeopáticos para tratamento do herpes labial. O medicamento, que foi testado em 93 pacientes residentes da região de Minas Gerais, mostrou bons resultados: a cicatrização das lesões entre três e quatro dias.

Os poderes cicatrizante, antiviral e antimicrobiano da guaçatonga - já bem conhecidos pelos indígenas - receberam um aval a mais dos pesquisadores Francisco Carlos Groppo e Vivane Goreth Costa Cury, na Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP), que obtiveram resultados animadores contra uma das doenças virais mais comuns: o hespes labial. “Causada pelo vírus do herpes simples HSV, trata-se de uma patologia de relevância epidemiológica, pois não tem cura e se repete por ciclos. É grande o número de pacientes que procuram os serviços públicos para se livrar rapidamente das lesões, uma vez que é algo doloroso, de aspecto feio. Em alguns casos, inclusive, há dificuldade para comer”, explica a dentista.

No estudo, que durou cerca de um ano e meio, foram testados o creme fitoterápico e o homeopático. Para comprovar ainda mais o potencial do medicamento, os pesquisadores utilizaram o creme penciclovir a 1%, utilizado comercialmente no combate a herpes, como grupo controle. Os pacientes foram separados em três grupos de 31 voluntários cada, e os testes foram do tipo duplo cego, ou seja, no transcorrer dos exames não era sabido qual medicamento estava sendo usado em cada paciente. Eles foram codificados e distribuídos pela classificação, o que garantiu maior veracidade às conclusões. “Os resultados apontaram que o creme à base de Casearia sylvestris acelera o processo de cicatrização. O penciclovir, em geral, induz a cicatrização das lesões na média de cinco dias. Com os cremes de Casearia foram de três a quatro dias, sendo que em alguns voluntários foi possível observar a cicatrização em dois dias”, garante a pesquisadora.

Em pacientes dos três grupos observados, cuja recorrência da doença era de dois em dois meses, não se verificou a repetição dos episódios. O herpes é uma doença tida como auto-limitante, o que significa que desaparece usualmente entre 7 e 12 dias em pacientes imunocompetentes, mesmo sem nenhum tratamento. “Normalmente, os pacientes apresentam um a dois episódios de recorrência por ano. Em alguns voluntários do estudo em que a recorrência era de dois em dois meses, foi possível verificar que houve inicialmente um aumento do intervalo entre os episódios. Nenhum desses voluntários apresentou recorrência das lesões durante o estudo”, exemplifica. Em rzaão do período de dois anos para a conclusão da pesquisa não foi possível avaliar o comportamento dos cremes em relação à diminuição de recorrências. Mas, na opinião da pesquisadora, as observações descritas podem ser consideradas como indícios de bons resultados. São necessários, no entanto, outros experimentos para avaliação do potencial.

A nova pomada está sendo patenteada pela Agência de Inovação da Unicamp e brevemente estará disponível para transferência da tecnologia para a indústria. O trabalho compõe a dissertação de mestrado de Viviane “Eficácia terapêutica da Casearia sylvestris sobre herpes labial e aplicabilidade em saúde coletiva”.

Mas a ciência não está se rendendo à guaçatonga apenas no tratamento contra herpes labial. Estudos também estão comprovando sua eficácia contra úlceras gástricas-duodenais, causadas por estresse ou maus hábitos alimentares. Os pesquisadores do Instituto de Química (IQ) da UNESP, campus de Araraquara, André Gonzaga dos Santos, Aristeu Gomes Tininis e Vanderlan da Silva Bolzani, e do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP) obtiveram sucesso na cicatrização de úlceras gástricas induzidas em animais de laboratório, utilizando substâncias obtidas de um extrato de folhas secas da Casearia sylvestris.

Eles identificaram, isolaram e avaliaram princípios ativos relacionados com a atividade antiúlcera. De acordo com um dos integrantes da pesquisa na UNESP, o farmacêutico Alberto José Cavalheiro, a principal vantagem de um novo medicamento à base de extrato da guaçatonga seria a sua ação rápida, sem causar efeitos colaterais - como a alteração do pH no estômago e a indução de contração uterina, o que impede o uso pelas gestantes - geralmente provocados pelos remédios tradicionais hoje disponíveis no mercado. "A velocidade de cicatrização de úlcera crônica induzida experimentalmente em ratos foi mais rápida com o extrato da guaçatonga do que a dos medicamentos mais utilizados", avaliou. Cavalheiro, junto com Jayme Sertié e Ricardo Woisky, da USP, acaba de registrar o pedido de patenteamento do achado junto ao Instituto Nacional e Patentes Industriais (Inpi), com o auxílio do Nuplitec - Núcleo de Patenteamento e Licenciamento de Tecnologia da Fapesp. O próximo passo é aguardar os resultados dos ensaios clínicos e dos testes de toxicidade para avaliar a viabilidade do uso dos compostos em seres humanos.

A planta como ela é...









Os índios utilizam a guaçatonga como cicatrizante e principalmente para curar feridas provocadas por picadas de cobras. Hoje, sabe-se que o componente responsável por esta capacidade chama-se "cariofileno" que alivia a dor provocada pela picada anulando a histamina, uma substância que pode desencadear a sensação dolorosa.

Flavonas, óleos essenciais, saponinas, taninos, resinas e antocianosídeos são alguns dos componentes presentes na guaçatonga que fazem a fama da planta como febrífuga, depurativa, anti-diarréica, cardiotônica, diurética, analgésica e cicatrizante.

Existem várias espécies pertencente ao gênero Casearia que são chamadas popularmente de guaçatonga, mas a Casearia sylvestris, a espécie que está sendo comprovada cientificamente, é a que atinge menor altura, medindo de 2 a 6 metros. As outras espécies passam de 6 metros, podendo chegar a 20 metros de altura. No Brasil é econtradas em regiões que vão desde a Bahia até o Rio Grande do Sul.

A guaçatonga é populamente conhecida como chá-de-bugre, cafezinho-do-mato, pau-de-lagarto, erva-de-bugre, cafeeiro-do-mato, guassatunga e guassatonga. Pertencente à família das Flacurtiáceas (Flacourtiaceae), é uma árvore de tronco tortuoso, com casca de coloração acinzentada e acastanhada, apresentando pequenas fendas superficiais. As folhas são alternas, simples, lanceoladas, ovaladas e elípticas. As flores são numerosas, branco-esverdeadas ou amareladas. O fruto é uma cápsula que se torna vermelha quando madura, apresenta de 2 a 6 sementes envoltas num arilo lanoso, amarelo e comestível. A árvore floresce ente os meses de julho a outubro e frutifica de setembro a dezembro.

Contra aftas e feridas na boca, a medicina popular utiliza um creme feito com 2 colheres (sopa) de folhas frescas de guaçatonga amassadas num pilão junto com 1 colher (sopa) de glicerina e 2 colheres (sopa) de álcool. A mistura é bem amassada, peneirada e aplicada nas partes afetadas duas vezes ao dia.

Já contra o herpes labial, popularmente usa-se uma infusão preparada com 2 colheres (sopa) de folhas de guaçatonga picadas em 1 copo de água fervente. Abafa-se e, depois de fria, a infusão é aplicada nas lesões labiais com um algodão.

Fonte de pesquisas www.jardimdeflores.com.br
Imagem do google

domingo, janeiro 10, 2010

Cuidando do seu amor


Remédios caseiros para a impotência
Se você sofre de impotência ou disfunção erétil (DE), não deixe as dificuldades afastarem você da saúde sexual e da felicidade. Experimente as dicas de auto-ajuda abaixo, mas se o problema persistir, não hesite em buscar ajuda profissional.

Verifique suas receitas. Uma variedade de medicamentos pode causar a DE, incluindo medicamentos para tratamento da hipertensão arterial (pressão alta), anti-histamínicos, antidepressivos, tranqüilizantes, anorexígenos e cimetidina, um medicamento para úlcera. Pergunte ao seu médico ou farmacêutico se algum dos medicamentos que você está tomando pode causar DE. Se um dos medicamentos que você toma pode causar a DE como efeito colateral, peça a seu médico que prescreva um medicamento diferente.

Evitar o fator que pode estar associado a DE. Não é incomum para um homem ter um episódio de DE após ingerir álcool ou após um dia particularmente estressante, por exemplo. Entretanto, se ele der muita importância ao incidente e ficar com medo que isso possa acontecer novamente, a ansiedade pode se tornar uma causa da DE. A mudança de comportamento pode ajudar. Uma estratégia que os terapeutas sexuais utilizam é que os casais se abstenham de sexo, dizendo a eles para se acariciarem sem sexo. Gradualmente, após um período de semanas ou meses, dependendo do casal, os parceiros passam a trabalhar mais as carícias que o sexo. A idéia é transformar o sexo em uma experiência menos ameaçadora.

Quebre a rotina. Ponha mais tempero nas suas relações: vá a um motel ou a um local diferente. Varie a rotina. Experimente novas posições. Compre lingeries novas para a sua parceira.

Aprenda a relaxar. Stress, que surge da ansiedade do desempenho ou de outras situações da vida, podem exacerbar a DE. Sem levar em consideração a causa, é difícil aproveitar quando você tem muita coisa na cabeça. Tente exercícios de relaxamento, como respirar fundo ou relaxamento muscular progressivo, onde você conscientemente tensiona e relaxa cada parte do corpo em seqüência.

Expresse seus sentimentos. As dificuldades do casamento ou de relacionamento não ajudam nos problemas sexuais. Raiva, ressentimento e mágoas geralmente caem sobre a vida sexual do casal, transformando o quarto num campo de batalhas. Esta situação provavelmente acontece se os parceiros não se comunicarem. Trabalhe para compartilhar seus sentimentos com sua parceira. Use a afirmação "eu" e mantenha o foco dos seus sentimentos, ao invés das ações da sua parceira. Fazer uma limpeza no relacionamento, ao invés de armazenar detritos emocionais, pode limpar o caminho para uma vida sexual mais saudável.

Fale sobre sexo. Às vezes, os problemas de ereção ocorrem porque você simplesmente não se sente excitado. Nestes casos, os terapeutas sexuais geralmente trabalham para ajudar os pacientes a se comunicarem mais abertamente sobre seu relacionamento sexual - o que eles gostam e o que não gostam, se eles gostariam de experimentar alguma coisa. Novamente, para evitar defesa e mágoas, as declarações pessoais são a chave. Prefira fazer comentários positivos ao invés de comentários agressivos.

Não beba antes do sexo. Beber álcool ou ficar bêbado pode alterar de maneira negativa o seu desempenho sexual.

Lembre-se das suas experiências felizes. Se a ansiedade do desempenho minou sua confiança, pensar sobre os relacionamentos sexuais positivos ou experiências positivas que você teve no passado pode elevar sua auto-estima. Também pode se convencer que você pode ter uma vida sexual plena no futuro.

Envolva a sua parceira. Apesar da disfunção erétil se originar no homem, é um problema do casal, e há soluções para isso. Se o problema não for médico, existem várias estratégias como as discutidas neste capítulo, que podem ajudar. Entretanto, suas chances de melhorar são muito boas se sua parceira sexual estiver envolvida na solução.

Saiba que você não é diferente dos outros. Essa declaração nunca é dita o suficiente: problemas com ereção não significam que você é fisiologica ou psicologicamente doente de alguma forma. Não é sua culpa e você não deve se sentir culpado ou permitir que sua auto-estima sofra.

Leia, depois converse. Tire vantagem das várias fontes de informação sobre sexo, livros que podem ajudar você e sua parceira a resolverem os problemas e trabalhar para uma vida sexual mais satisfatória, bem como manuais sobre sexo e até mesmo vídeos.

Evite os afrodisíacos. Spanish fly e outros assim chamados afrodisíacos são geralmente placebos, pílulas de açúcar que não fazem nada além de aumentar sua confiança. E mais, o Spanish fly pode ser muito perigoso e até mesmo fatal. Evite remédios alternativos ou a base de ervas.

Imagine fantasias. Vários homens com problemas de ereção vivem na expectativa ou observação constante de seu próprio desempenho sexual. Isto tira o indivíduo do seu momento de prazer e o leva a ser muito crítico. Em vez de se julgar, concentre-se no prazer de estar com sua parceira. Fantasiar sobre sua parceira pode melhorar seu desempenho.

Experimente a masturbação. Ansiedade do desempenho é só isso - ansiedade sobre o desempenho da sua parceira. Mas não se esqueça de que enquanto é importante satisfazer sua parceira, você está lá também para se satisfazer. Masturbação - chegar ao orgasmo enquanto você está sozinho, pode ser útil e ajudar a redescobrir como conseguir o próprio prazer (enquanto ainda procura uma solução para o problema). O próximo passo é trazer esse aprendizado para dividir com a sua parceira. Desta maneira, você pode mudar o foco do desempenho para a interação mutuamente prazerosa.

Não tenha medo de procurar ajuda. Se a sua DE não tiver causa médica, pode ser causada por algum problema psicológico. Culpa, vergonha, raiva, medo, tristeza e outras emoções podem prejudicar seu desempenho sexual. Você pode conseguir ajuda de terapeutas que se especializaram em problemas sexuais. Peça ao seu médico ou urologista uma referência.

http://saude.hsw.uol.com.br/

Maneiras de evitar a impotencia


Impotência ou disfunção erétil (DE) possui muitas causas, médicas e outras. Você pode ajudar a evitar este problema usando algumas das estratégias abaixo.

Pare de fumar. Estudos mostraram que o fumo se associa à diminuição da circulação nos vasos sangüíneos do pênis, impedindo o fluxo necessário para uma ereção. Se você fuma, pare. Isso não reverte os danos existentes, mas pode ajudar a prevenir a piora.

Proteja sua virilha de lesões. Uma das causas mais comuns de DE, especialmente em homens jovens, são as lesões na área da virilha. Geralmente, estas lesões não se curam adequadamente e devem ser tratadas com cirurgia. As lesões na virilha podem ser causadas por esportes como andar de bicicletas, praticar caratê e cavalgar. Se você acredita que seus problemas com a ereção são causados por esses esportes, deve consultar um médico.

Tenha certeza que seu objetivo é verdadeiro. Acredite ou não, outra causa de DE é um pênis quebrado. Este tipo de lesão, que é rara, pode ocorrer quando sua parceira está em cima de você, seu pênis escorrega da vagina e ela senta nele. Isto pode causar uma lesão no mecanismo de ereção, junto com a contusão e o inchaço causado pelo sangramento interno. Quando isto ocorre, pode ser necessária uma cirurgia para reparar a lesão.

Ao lutar contra a DE ou impotência, lembre-se de que estão disponíveis várias opções de tratamento. Não deixe as dificuldades impedirem você de tratar esse problema.



Suas chances de melhorar a disfunção erétil são melhores
se sua parceira estiver envolvida na solução




Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA

sábado, janeiro 09, 2010

Arnica...


arnica ocorre em solos rasos, entre fendas de rochas, onde a retenção de água por um período mais longo se torna difícil.

As Asteraceae de campos rupestres foram estudadas por HANDRO et al., ( 1970 ), quanto a sua anatomia foliar, e entre essas, algumas espécies do gênero Lychnophora. Os autores observaram que alguns fatores ambientais que devem agir como selecionadores dessa vegetação são os solos pedregosos e em declive; queima periódica , altitude acima de 1000m os quais, juntamente com a topografia da região e estrutura da vegetação, devem ocasionar condições de baixa temperatura, vento e grande insolação.



A floração da arnica , de uma maneira geral, ocorreu entre os meses de agosto a outubro, durante a estação seca para a chuvosa.
Asteraceae.

Outros nomes populares da Arnica montana: arnica-das-montanhas, arnica-verdadeira, panacéia-das-quedas, quina-dos-pobres, tabaco-de-montanha, tabaco-dos-saboianos; arnica-verdadeira; echte arnika (alemão), arnica (espanhol, francês, inglês e italiano), arnicae (latim).

Constituintes químicos da Arnica montana: ácido cinâmico, ácido fórmico, ácido fumárico, ácido isobutírico, ácido isovalérico, ácido tânico, alcalóide, arnicina, arnifolinas, astragadol, cadineno, carotenóides, ceras, chammisonólidos, colina, cumarinas, escopoletina, esteróis, faradiol, flavonóides (isoquercetina, luteolina, astragalina), fitosterina, glicosídeos, helenalinas, heterósido flavônico, humuleno, inulina, mirceno, óleo essencial (0,23 a 0,35%), óxido cariofilênico, resinas, taninos, timol, triterpenos (arnidol, pradiol e arnisterina), umbelliferona, xantofila.

Propriedades medicinais da Arnica montana: analgésica, anticongestiva, antiinflamatória, antimicrobiana, anti-seborréica, anti-séptica, cardiotônica, estimulante, estimulante do crescimento capilar, hipotensora, tônica, vulnerária.


Imagem e texto do google

sexta-feira, janeiro 08, 2010

ECOSSISTEMA E A RELIGIÃO YORUBÁ







A verdade Yorubá é trazer à humanidade seu resgate de vida, a condição exata do ir e vir da vida humana no mundo.

O principal de tudo isso é própria conexão com a evidência da presença de Vida em toda existência que é também expressa através da ligação com Orisa. E Esse processo obedece todo um mecanismo, onde na falta de um item, é o suficiente para acabar com esse ciclo. Pois está ligado com energias poderosíssimas: Orisa-Homem-Natureza.

Somente através da Sabedoria Ancestral se pode reconhecer um processo eficiente como esse. Ele funciona, logo demonstra estar ligado com a própria natureza essencial do ser humano, nas pessoas e, em sincronismo, com os fluxos da Terra.

Nesse clima de "retorno ao mundo natural", de preocupação com a ecologia, o orixá quase inteiramente esquecido no Brasil vem sendo aos poucos recuperado. Trata-se de Onilé, a Dona da Terra, o orixá que representa nosso planeta como um todo, o mundo em que vivemos. O mito de Onilé pode ser encontrado em vários poemas do oráculo de Ifá, estando vivo ainda hoje, no Brasil, na memória de seguidores do candomblé iniciados há muitas décadas.

Onilé, isto é, a Terra, tem muitos inimigos que a exploram e podem destruí-la. Para muitos seguidores da religião dos orixás, interessados em recuperar a relação orixá-natureza, o culto de Onilé representaria, assim, a preocupação com a preservação da própria humanidade e de tudo que há em seu mundo.

A humanidade não sobreviveria sem Onilé.

Afinal, onde ficava cada uma das riquezas que Olodumare partilhara com filhos orixás?

"Tudo está na Terra", disse Olodumare.

"O mar e os rios, o ferro e o ouro, Os animais e as plantas, tudo”.

"Até mesmo o ar e o vento, a chuva e o arco-íris, tudo existe porque a Terra existe, assim como as coisas criadas para controlar os homens e os outros seres vivos que habitam o planeta, como a vida, a saúde, a doença e mesmo a morte” (Portal Orixás)

Quanto a Tradição Africana:

No geral, os povos africanos consideram que o universo, está divido em duas porções: o visível e o invisível. Os seres humanos vivem no nível visível, o deus e os seres espirituais vivem no nível invisível. Há uma ligação entre os dois mundos. O deus e os seres espirituais que fazem sua presença no nível físico; e as pessoas se projetam para o nível espiritual através de deus e os divinizados. A religiosidade africana é muito sensível na questão sobre a dimensão espiritual.

Os seres espirituais explicam o "espaço antológico" entre seres humanos e Deus. Estes podem ser reconhecidos de formas diferentes, de que principais são: os divinizados e espíritos. Os divinizados foram criados por Deus, e alguns são também personificados de fenômenos e de objetos naturais principais tais como montanhas, lagos, rios, terremotos, trovão, etc.. Os espíritos podem ser considerados em duas categorias: divinos celestiais (céu) e do mundo. Os espíritos "divinos" são aqueles associados com os fenômenos e os objetos "divinos" tais como o sol, as estrelas, cometas, chuva e tempestades. E os "da terra" são em parte aqueles associados com os fenômenos e os objetos da terra, e em parte aqueles que são das pessoas após a morte (Egungun). (Ifatola)

Afirmando que toda essa religiosidade é baseada e estruturada na relação entre os seres humanos e a natureza. As plantas, os animais, os fenômenos naturais em geral e são manifestações do sagrado.

Na religião Yorubá, a cosmovisão também no Candomblé, a liturgia e a leitura dos seres humanos na sua singularidade são toda em cima dos fatos e fenômenos naturais. As relações entre os seres humanos e a natureza são indissolúveis e essenciais: “sem folha, não há o culto em si, não há vida, não há nada”.

Já que esta questão está posta desta maneira tão incontornável no universo Yorubá, porque mesmo é importante refletirmos aqui sobre esta relação entre a religiosidade e a ecologia? Talvez seja este o ponto de partida de tudo, porque a história da nossa sociedade e de todo o ocidente é a história da dicotomia entre cultura e natureza e, até mesmo, a história da cultura contra a natureza, a favor do domínio da natureza.

O capitalismo e permitiu o desenvolvimento fantástico das forças produtivas e do conhecimento. Mas, hoje, estamos diante de um impasse. Estamos diante da possibilidade de um desequilíbrio ambiental sem retorno em conseqüência da ação humana. Não podemos descartar que esse desequilíbrio venha a inviabilizar a vida no planeta. Os impactos sociais e ambientais do desenvolvimento acabaram por nos colocar neste ponto ameaçador. A elevação da temperatura da terra, a destruição de ecossistemas inteiros, o desaparecimento diário de milhares de espécies, a redução vertiginosa dos estoques de água potável são sintomas dessa crise ambiental global, um verdadeiro desafio para toda a humanidade.

É nesse sentido que falamos de uma aliança entre os religiosos Africanos, Afros descendentes e Afros brasileiros e o movimento ambientalista.

http://orixas.com.br/

quinta-feira, janeiro 07, 2010

A teoria do yin e yang


Como funcionam o Yin e Yang
por Bill Schoenbart e Ellen Shefi - traduzido por HowStuffWorks Brasil


O yin e yang foram concebidos pela primeira vez através da observação dos pacientes das forças da natureza (em inglês). Os Taoístas que desenvolveram o sistema da Medicina Tradicional Chinesa viam o universo como um campo unificado, em constante movimento e mutação enquanto mantinha sua unidade.

Este constante estado de mutação foi explicado através da teoria do yin e yang, que apareceu na forma escrita aproximadamente em 700 a.C. no I Ching ("Book of Changes").

De acordo com a teoria, a natureza se expressa em um ciclo interminável de opostos polares como o dia e a noite, umidade e seca, calor e frio e atividade e descanso.

O fenômeno Yin é aquele que mostra as qualidades da escuridão, descanso, úmido, frio e estrutura. Seu caractere chinês representa o lado com sombras de uma montanha.

O fenômeno Yang possui as qualidades da energia como luz, atividade, seca, calor e função. Seu caractere chinês representa o lado ensolarado de uma montanha.



A teoria do yin e yang explica o
constante estado de mutação do universo


Tudo na natureza mostra várias combinações do yin e yang. Por exemplo, a neblina da manhã (yin) é dissipada pelo calor do sol (yang); o fogo na floresta (yang) é extinguido pela (yin) tempestade; a escuridão da noite (yin) é substituída pela luz do dia (yang). Qualquer fenômeno dentro da natureza pode ser entendido em relação ao outro, um sempre será yin ou yang em comparação ao outro.

Os princípios básicos do Yin e Yang

Tudo na natureza pode ser expresso como a oposição do yin e yang. Esta é a força energizante de todos os aspectos da natureza. É dinâmica e o fundamento básico para a mudança na natureza.

Yin e yang também são termos relativos: um incêndio na floresta é mais yang que uma fogueira; uma fogueira é mais yang que uma fagulha. Nada é puramente yin ou yang; tudo é uma questão de comparação.

Yin e yang são interdependentes. Apesar do yin e yang serem opostos, um não tem significado sem o outro. Por exemplo, o dia não teria significado sem a noite; o calor não pode ser entendido sem conhecer o frio; a febre (em inglês) e os arrepios não podem ser determinados sem experimentar a temperatura corporal normal.

Yin cria o yang; o yang cria o yin. Inúmeros exemplos deste princípio podem ser vistos na natureza. Por exemplo, em um dia quente de verão (yang), ocorre uma repentina tempestade (yin). Uma pessoa pode apresentar sintomas de arrepios e nariz escorrendo (yin) que se transformam em febre com dor de garganta (yang). Uma criança hiperativa não pára um minuto (yang), de repente cai no sono (yin).

Yin e yang controlam-se mutuamente. Este é o mecanismo básico do equilíbrio na natureza e no corpo humano. Quando o corpo se superaquece por causa dos exercícios, os poros se abrem e o suor baixa a temperatura. Quando o corpo está muito frio devido à exposição, os músculos tremem para gerar calor.

Yin e Yang no corpo humano

Já que os Taoístas acreditam que tudo é parte da unidade do universo, eles não fazem distinção entre as forças externas da natureza e os processos internos do corpo humano, acreditando que "o macrocosmo existe dentro do microcosmo". Em outras palavras, qualquer processo ou alteração que pode ser testemunhada na natureza também pode ser vista no corpo.

Por exemplo, uma pessoa que come comida fria (yin) em um dia frio (yin) pode apresentar muco em excesso (yin). Da mesma forma, uma pessoa que realiza uma atividade estenuante (yang) em um dia quente (yang) deve experimentar desidratação com febre (yang). Alguns dos diagnósticos tradicionais parecem relatórios sobre o clima, como "vento e frio com umidade" (uma condição yin) ou uma "deficiência da seca levando a um incêndio" (um padrão yang).

Estas descrições de diagnóstico ilustram o princípio que o corpo experimenta as mesmas flutuações de yin e yang como o ambiente.

Os órgãos internos também possuem seu próprio equilíbrio do yin e yang.

As funções Yin tendem a ser nutridas, refrescantes, criativas e relaxantes e relacionadas à estrutura ou substância dos órgãos. As qualidades do Yang tendem a ser energizantes, acolhedoras, consumidas e estimulantes e estão relacionadas à atividade funcional dos órgãos.

Por exemplo, os rins são considerados a fonte do yin (água) e yang [fogo, ou metabolismo (em inglês)] para o corpo inteiro. Se o rim yin for deficiente ou com as funções diminuídas, uma pessoa pode experimentar episódios de calor e suores noturnos, como ocorre na menopausa quando os níveis de estrogênio (yin) diminuem. Isto ocorre por causa da umidade insuficiente (yin) para manter o fogo metabólico (yang), que mantém o corpo aquecido, sob controle.

Pense no funcionamento de um motor de carro com óleo insuficiente; o motor superaquecerá devido à deficiência do lubrificante parecido com o yin. Uma deficiência do rim yang produz estes sintomas como mãos e pés frios e uma falta de vitalidade geral.

Estes sintomas, que geralmente ocorrem com a idade, são causados pela insuficiência do fogo metabólico (yang) para infundir o corpo inteiro com energia e aquecimento, dispensando frio e fadiga (yin).

Yin e Yang na Medicina Tradicional Chinesa

A Medicina Tradicional Chinesa aplica esta teoria antiga do yin e yang na prática clínica. No caso de deficiência do rim yin, o princípio terapêutico é tonificar (fortificar) o yin e sedar o yang hiperativo.

Isto é conseguido com uma fórmula clássica conhecida como "Comprimidos de Rehmannia" que contém três ervas que nutrem o yin dos rins e três ervas que limpam o calor que surge da falta de resfriamento e funções de umidade yin.

Na deficiência yang do rim, ervas semelhantes são utilizadas para nutrirem o rim, com a adição de estimulantes metabólicos de aquecimento como raiz de Aconite e canela.

Uma vez que todos os órgãos possuem aspectos yin e yang semelhantes, é possível monitorar e ajustar os níveis yin e yang de todas as partes do corpo, mantendo um alto nível de vitalidade e evitando doenças.

Isto é conseguido não só com ervas, mas com alterações na dieta (em inglês) e no estilo de vida. Desta maneira, as antigas observações dos Taoístas possuem aplicações práticas em nossas próprias buscas pelo bem-estar.

http://www.hsw.uol.com.br/

terça-feira, janeiro 05, 2010

Aromaterapia



Kathi Keville - traduzido por HowStuffWorks Brasil


Aroma significa perfume, e terapia, tratamento. Aromaterapia, então, é o uso de óleos aromáticos extraídos de plantas para melhorar sua saúde e seu bem estar geral. Antes de mais nada, naturalmente, a aromaterapia oferece puro prazer. Um cheirinho de tempero na cozinha ou um buquê de flores é aromaterapia básica.


Tente também mais
um quiz Aromaterapia



A aromaterapia também tem muitos outros benefícios. A inalação da fragrância correta pode reduzir o estresse e a depressão, proporcionar uma boa noite de sono, acalmar seu espírito ou dar-lhe mais energia. A aromaterapia já está ajudando funcionários a ficarem atentos ao realizarem atividades mentais repetitivas. E os hospitais estão usando a aromaterapia para ajudar pacientes a relaxarem, para que outras modalidades de cura funcionem.

Massagem com óleos aromáticos é outra forma de tirar proveito da aromaterapia. Isso porque os óleos essenciais, compostos responsáveis pela fragrância da planta, oferecem muitos benefícios de cura, além de seus perfumes especiais. O ungüento tópico, como o bálsamo de tigre chinês, por exemplo, alivia dores. E os xampus perfumados e os óleos para o corpo fabricados recentemente melhoram a saúde da pele e dos cabelos, além de levar a uma melhora do humor. A aromaterapia é bastante versátil e pode ser utilizada de diferentes formas para tratar uma ampla variedade de problemas físicos e emocionais.


A aromaterapia é o uso de várias
fragrâncias para melhorar a saúde e o
bem-estar geral



A aromaterapia também é muito fácil de usar! A quem não seria recomendado o banho com óleos perfumados ou a massagem aromática? Nos artigos abaixo, você aprenderá os princípios básicos da aromaterapia, como usá-la, os perfis dos óleos essenciais que podem ser utilizados de modo terapêutico e as doenças comuns que podem ser tratadas com a aromaterapia.

A história da aromaterapia
Embora a aromaterapia tenha se tornado cada vez mais popular nos últimos anos, ela faz parte de uma tradição que começou há mais de 2.000 anos. Nesse artigo, voltaremos aos primórdios da aromaterapia e você aprenderá sobre sua evolução até os dias de hoje.

Informações sobre a aromaterapia
Nesse artigo, apresentaremos os óleos essenciais - os elementos que constituem qualquer tratamento com aromaterapia. Mostraremos também como os óleos essenciais podem ser usados de modo terapêutico.

Como funcionam os óleos essenciais
Esse é o artigo ideal para se aprender tudo sobre os óleos essenciais. Mostraremos como os óleos essenciais são produzidos, suas diferenças e como comprá-los e armazená-los.

Como usar a aromaterapia
Aqui, você encontrará as informações necessárias para começar a praticar a aromaterapia. Indicaremos também os materiais a serem usados e ensinaremos como fazer e aplicar suas próprias criações de aromaterapia.

Perfis dos óleos essenciais
Ervas, frutas e plantas comuns, como alecrim, lavanda, laranja e limão, produzem óleos essenciais que podem ser usados para fins terapêuticos. Nessa página, você encontrará os perfis dos óleos essenciais dessas e de outras plantas conhecidas.

Como tratar doenças comuns com a aromaterapia (em inglês)
Aqui, você encontrará receitas específicas da aromaterapia para tratar uma grande variedade de doenças, desde acne à insônia e verrugas

Fonte de pesquisas
http://saude.hsw.uol.com.br/

Tratamentos alternativos para a diabetes

Visão geral da diabetes
A diabetes pode até não gerar o mesmo sentimento de urgência ou medo como o câncer ou doenças cardíacas, mas é uma das maiores causas de cegueira e amputações, além de ser responsável por mais de 200 mil mortes por ano. Mais de 18 milhões de americanos sofrem com a diabetes e mais 16 milhões já mostram os primeiros sinais de alerta da doença. Os adultos mais velhos sempre tiveram o maior índice de incidência, mas estatísticas alarmantes mostram que a diabetes está sendo diagnosticada cada vez mais entre os jovens, incluindo crianças.

Quase todo mundo conhece alguém que tenha diabetes, embora a falta de informações a seu respeito também seja comum. A diabetes não é causada por comer açúcar demais. Mas não é nenhuma coincidência que mais de três quartos dos portadores de diabetes estejam acima do peso. E a alimentação, junto às atividade físicas e medicamentos, é extremamente importante para controlar a doença e afastar suas complicações potencialmente devastadoras.




Neste artigo, vamos aprender sobre a diabetes e tratamentos alternativos para manter essa doença e seus sintomas sob controle.

Insulina caprichosa

A diabetes se desenvolve quando a insulina não consegue trabalhar corretamente. A insulina é um hormônio, um tipo de mensageiro químico, que diz às células do seu corpo para deixar a glicose entrar. A glicose, por sua vez, é o açúcar que se origina na digestão dos alimentos que você come. Ela fica circulando pelo seu corpo após uma refeição.

Sem as quantidades corretas de insulina, as células não vão se alimentar da glicose que circula, o que fará com que ela continue circulando pelo sangue. E é por isso que pessoas com diabetes têm altos níveis de glicose no sangue.

A ironia, caso você tenha diabetes, é que apesar de ter muito açúcar no seu sangue, as células literalmente passam fome por falta de glicose. E elas começam a quebrar a gordura para produzir energia e, no processo, liberam subprodutos chamados cetonas. Ter cetonas demais no sangue é um sinal de que você não possui insulina o bastante para levar a glicose para dentro das suas células famintas. O excesso de cetonas acaba saindo pela sua urina, que é o motivo pelo qual é possível testar sua quantidade na urina e verificar se a pessoa tem diabetes. Os altos níveis de cetonas no sangue podem ser tóxicos e levar a um problema sério chamado de cetoacidose.

Os dois principais tipos

Há dois tipos principais de diabetes. O tipo 1, também chamado de diabetes juvenil, dependente de insulina, costuma aparecer na infância ou no começo da vida adulta. Se você tem a diabetes tipo 1, pode ser que tenha uma tendência genética à doença, mas seu início foi desencadeado por uma infecção viral ou estresse.

Nesse tipo de diabetes, o corpo simplesmente não produz insulina suficiente. A glicose fica fora das células porque não há insulina para fazê-las entrar. Por isso, os portadores desse tipo de diabetes devem receber injeções diárias de insulina pelo resto de suas vidas. Para o máximo de eficácia, as injeções devem ser cronometradas cuidadosamente de acordo com as refeições e os lanches.

A diabetes tipo 2, também chamada de não insulino-dependente ou diabetes contraída na vida adulta, costuma atacar na meia idade ou depois desse período. Mas crianças e jovens adultos sedentários e com excesso de peso cada vez mais são acometidas por esse tipo de diabetes. Ela é, de longe, o tipo mais comum de diabetes. Seus genes determinam se você tem tendência a esse tipo de diabetes.

Nos casos de diabetes do tipo 2, costuma haver muita insulina circulando, pelo menos nos primeiros estágios e estágios intermediários da doença, mas as células não respondem a essa insulina. O efeito é o mesmo que no tipo 1: pouca glicose entra nas células, o que as faz passar fome, enquanto o açúcar vai se acumulando na corrente sangüínea. Dizemos que isso é ser "resistente" à insulina. Um precursor desse tipo de diabetes é uma condição pré-diabética chamada de resistência à insulina ou tolerância deficiente à glicose.

A sua árvore genealógica irá dar pistas quanto a sua probabilidade de desenvolver esse problema. Mas só porque ela acontece na sua família, não significa que você vai desenvolver a diabetes de qualquer jeito. Se estiver acima do peso, pode ser possível prevenir, ou ao menos atrasar, o desenvolvimento da diabetes se conseguir emagrecer. Estar acima do peso não causa a diabetes, mas se você tiver uma tendência hereditária ao problema, os seus quilinhos a mais podem ser o bastante para desenvolver a resistência à insulina.

Os sinais

Os sinais clássicos da diabetes são a sede insaciável e o excesso de urina, ao ponto em que a vontade de urinar faz com que você acorde várias vezes todas as noites. Esses dois sintomas, causados pela necessidade de se livrar do excesso de açúcar, são mais fáceis de se perceber no tipo 1 do que no tipo 2. Outros sinais são a fadiga, ferimentos nas mãos e pés que não saram (devido ao fluxo sangüíneo ruim), infecções do trato urinário e visão embaçada.

Se tiver diabetes tipo 1, pode perder peso pelo fato que a glicose não consegue chegar até as suas células. Isso não costuma acontecer com a diabetes tipo 2, já que sempre há um pouco de insulina. O problema é que ela não é 100% eficaz. E é por isso que os sintomas do tipo 2 costumam ser menos dramáticos e mais facilmente ignorados. Na verdade, a diabetes tipo 2 pode simplesmente não apresentar sintomas.

Na próxima seção, vamos realçar a importância de uma terapia com três bases, ou seja, dieta, exercícios e nutrição, para o tratamento da diabetes e para mantê-la sob controle.

Fonte de pesquisas
http://saude.hsw.uol.com.br/

sábado, janeiro 02, 2010

Medicina Fitoterápica Chinesa .Acupuntura


Como tratar sintomas comuns com a Medicina Tradicional Chinesa
por Bill Schoenbart e Ellen Shefi - traduzido por HowStuffWorks Brasil
O tratamento da Medicina Tradicional Chinesa para doenças comuns é muito diferente dos tratamentos médicos ocidentais. Embora você esteja acostumado a tomar medicamentos prescritos e canja de galinha quando fica doente, um típico plano de tratamento da Medicina Tradicional Chinesa pode incluir uma combinação de moxabustão, qi gong e massoterapia - dependendo da doença.

O plano de tratamento mais comum é a mistura de acupuntura e fitoterapia. Veja nos artigos abaixo exemplos de planos de tratamento.




A acupuntura é uma prática da Medicina Tradicional Chinesa
geralmente usada para tratar doenças comuns.



Se você sofre de reações alérgicas constantes, insônia ou simplesmente de um resfriado comum, veja esses artigos para conhecer os extraordinários planos de tratamento da Medicina Tradicional Chinesa. As informações não substituem o atendimento de um especialista qualificado, nem discutem por completo as doenças citadas. Se você sofre de qualquer um desses problemas e gostaria de ser tratado com a Medicina Tradicional Chinesa, peça ajuda a um profissional qualificado da área da saúde após ler esses artigos.

Como tratar alergias com a Medicina Tradicional Chinesa
Uma pessoa pode ser alérgica a praticamente qualquer coisa - de descamação de pele animal a amendoim. Conheça as possíveis causas das alergias e saiba como tratá-las com a Medicina Tradicional Chinesa.

Como tratar a artrite com a Medicina Tradicional Chinesa
Os tratamentos ocidentais populares para artrite geralmente não fazem absolutamente nada para curar a doença. Descubra como funciona a Medicina Tradicional Chinesa para eliminar a causa da artrite e a doença em si.

Como tratar o resfriado comum com a Medicina Tradicional Chinesa
Em vez de canja de galinha para ajudar a curar o resfriado, experimente tomar sopa de miso com cebolinha e gengibre fresco. Conheça outras formas de tratar o resfriado comum com a Medicina Tradicional Chinesa.

Como tratar a prisão de ventre com a Medicina Tradicional Chinesa
A constipação pode ser uma doença comum embaraçosa, mas também pode ser muito grave - possivelmente relacionada à depressão, hipertireoidismo e câncer do cólon. Obtenha mais detalhes de como tratar a constipação com a Medicina Tradicional Chinesa.

Como tratar a tosse com a Medicina Tradicional Chinesa
A Medicina Tradicional Chinesa pode ser extremamente eficaz no tratamento de tosses. Leia esse artigo para conhecer vários tipos de tosses e os planos de tratamento para o seu controle.

Como tratar a diarréia com a Medicina Tradicional Chinesa
Se você sofre de diarréia, alguns tratamentos da Medicina Tradicional Chinesa incluem chá de hortelã quente, caldo de legumes e arroz branco comum. Obtenha mais informações nesse artigo.


Como tratar a fadiga com a Medicina Tradicional Chinesa
O primeiro passo para tratar a fadiga com a Medicina Tradicional Chinesa é fazer uma avaliação do estilo de vida da pessoa. Saiba como os remédios fitoterápicos e a acupuntura podem ajudar a diminuir a fadiga.

Como tratar a cefaléia com a Medicina Tradicional Chinesa
Todos nós sofremos de cefaléias, leves e fortes, e, às vezes, tomar Advil simplesmente não resolve o problema. Obtenha mais detalhes sobre as diversas maneiras de tratar as cefaléias com a Medicina Tradicional Chinesa.

Como tratar a indigestão com a Medicina Tradicional Chinesa
Os sintomas da indigestão incluem náusea, vômito, mau hálito e falta de apetite. Saiba como o chá de gengibre forte, tomado com as fórmulas da Medicina Tradicional Chinesa, pode ajudar a tratar a indigestão.

Como tratar a insônia com a Medicina Tradicional Chinesa
Passar noites em claro virando de um lado para outro na cama pode ter efeitos negativos na vida e na saúde de uma pessoa. Conheça os planos de tratamento da Medicina Tradicional Chinesa que acabam com a insônia.

Como tratar cólicas menstruais com a Medicina Tradicional Chinesa
Algumas mulheres sofrem de cólica menstrual tão intensa que mal conseguem se levantar da cama. Alivie a dor menstrual com esses tratamentos da Medicina Tradicional Chinesa.

Como tratar a síndrome pré-menstrual com a Medicina Tradicional Chinesa
A TPM (síndrome da tensão pré-menstrual) geralmente não é levada a sério. Aprenda a tratar a tensão pré-menstrual com a Medicina Tradicional Chinesa.

Como tratar a prostatite e a dor ciática com a Medicina Tradicional Chinesa
A prostatite é uma inflamação da próstata; a dor ciática corresponde a uma dor que começa nas nádegas e desce pela panturrilha. Veja como a Medicina Tradicional Chinesa consegue tratar essas doenças.

Como tratar a sinusite com a Medicina Tradicional Chinesa
Se estiver sofrendo de sinusite, evite alimentos gelados, gordurosos e excessivamente condimentados. Saiba como a Medicina Tradicional Chinesa pode tratar a dor e o desconforto na região dos seios da face.

Como tratar dor de garganta e estresse com a Medicina Tradicional Chinesa
Dor de garganta e estresse constante são duas doenças muito comuns que podem ser tratadas facilmente com a Medicina Tradicional Chinesa. Obtenha mais informações nesse artigo.

Como tratar uma infecção do trato urinário com a Medicina Tradicional Chinesa
Uma ITU (infecção do trato urinário), também cistite (infecção da bexiga), pode ser muito dolorida e causar lesões graves no rim. Verifique esse artigo para conhecer os tratamentos da Medicina Tradicional Chinesa para uma infecção do trato urinário.



Fonte de pesquisas
http://saude.hsw.uol.com.br/

Medicina Fitoterápica Chinesa


A Medicina Tradicional Chinesa fitoterápica emprega práticas antigas - a medicina fitoterápica é tão antiga quanto a própria humanidade. Os primeiros seres humanos eram caçadores-coletores cuja sobrevivência dependia do conhecimento do seu ambiente. A experiência direta os ensinou quais plantas eram tóxicas, quais forneciam força e sustentavam a vida e quais possuíam qualidades especiais de cura.

Essas primeiras descobertas foram repassadas até que milhares de anos e milhões de tentativas humanas levaram à evolução de um sistema incrivelmente sofisticado de diagnóstico e medicina fitoterápica.



Na China, muitas ervas são usadas
como substâncias medicinais a cada ano

Milhares de substâncias medicinais são usadas na China hoje em dia. Na verdade, mais de um milhão de toneladas de ervas são usadas a cada ano na China. Trinta ervas, na maioria tônicas, representam mais de 50% desse número, com o alcaçuz ocupando o topo da lista com 86.000 toneladas.

Essas informações podem parecer surpreendentes para os ocidentais, que vêem a medicina fitoterápica como um novo desenvolvimento na cura de doenças. De um ponto de vista prático, no entanto, uma farmácia bastante completa armazena cerca de 450 ervas individuais diferentes.

A partir desta coleção de ervas, um fitoterapeuta clínico emprega mais de 250 fórmulas padronizadas, cada uma delas podendo ser modificada para se adequar ao padrão individual de desarmonia de um paciente. O fitoterapeuta ou médico combina as ervas baseado no diagnóstico, usando uma fórmula fitoterápica tradicional como base e adicionando outras ervas específicas conforme a reclamação e a constituição do indivíduo.

À medida que a saúde da pessoa melhora, a natureza do desequilíbio muda, então a fórmula fitoterápica também precisa mudar. Algumas ervas são excluídas quando não são mais necessárias, enquanto outras mais apropriadas à mudança da condição são incluídas.

Na próxima seção aprenda sobre as categorias de medicamentos fitoterápicos chineses.

Fonte de Pesquisas
http://saude.hsw.uol.com.br/

Reflexão

Estou aprendendo que a maioria das pessoas não gostam de ver um sorriso nos lábios do próximo.Não suportam saber que outros são felizes... E eles não! (Mary Cely)